Notícia

Diz que é azeite, mas é tempero

17 março 2017
azeite

17 março 2017
Descobrimos um produto que, na embalagem, traz em destaque o termo “azeite de oliva tipo extravirgem”. Mas, se você olhar nas letras bem pequenas, vai ver que não é bem isso...

Imagine comprar um legítimo azeite extravirgem pagando cerca de R$ 5. Bom demais, não é verdade? Não, não é! Dificilmente esse alimento vai custar esse valor. Por isso, desconfie se encontrar algum tão barato nas prateleiras. Caso encontre, possivelmente há algo errado.
E foi isso o que vimos acontecer com o Essência Portuguesa. A embalagem é muito parecida com a de um legítimo azeite. E se você o vir no supermercado, vai achar que está, de fato, diante do produto, porque a primeira coisa que lerá no rótulo, de forma bem destacada, é “azeite de oliva extravirgem”. Só que o produto, na verdade, diz ser um tempero português. 
No site do fabricante, a informação é clara: trata-se de um tempero português elaborado com azeite de oliva extravirgem. Mas, no rótulo, isso aparece em letras muito pequenas, o que pode fazer você comprar gato por lebre. Quando olhamos a lista de ingredientes, fica ainda mais claro: o azeite extravirgem é apenas um dos itens usados numa mistura de óleos vegetais. Por conta disso, o produto deveria ser classificado como “óleo misto ou composto”, conforme dita a legislação.
Vale lembrar que só é considerado azeite de oliva extravirgem o alimento obtido apenas da azeitona, sem qualquer outro tipo de óleo. Assim, como o Tempero Português Essência Portuguesa induz o consumidor ao erro, a PROTESTE já acionou o Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), pedindo a alteração da rotulagem de acordo com as normas corretas.

azeite

Não se deixe enganar
Além desse problema que encontramos, pode ser que haja outros produtos no mercando querendo se passar por azeite. Por isso, siga as nossas dicas para não ser enganado:
● Observe se antes do termo “azeite de oliva” há a expressão “elaborado com”. Isso significa que o azeite é um dos ingredientes do produto, e não a sua totalidade.
● Veja, também, se a embalagem traz o termo “tempero português”. Mais um indicativo de que não é azeite extravirgem.
● Cuidado com a acidez! Muitas pessoas acreditam que esse parâmetro é o ideal para tomar a decisão na hora da escolha do produto. Realmente, em geral, quanto menor a acidez, melhor. Porém, não podemos definir se um produto é bom ou ruim, apenas por esse critério. E, no caso do produto em questão, ele mostra acidez de 0,5%, ou seja, a mesmo de um azeite extravirgem normal. Por isso, não se baseie apenas nesse critério, porque poderá se confundir.
● Leia a lista de ingredientes. Isso é primordial! Esse produto não precisa trazer essa lista na embalagem, pois é composto por apenas um item: azeite de oliva extravirgem. Já no caso de uma mistura de óleos, todas as matérias-primas utilizadas deverão constar do rótulo.

 

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou (21) 3906-3900 (de celular).


Imprimir Enviar a um amigo