Notícia

Teste constata excesso de água no frango congelado

30 novembro 2015
frango congelado

30 novembro 2015

PROTESTE não detectou resíduos de antibióticos em nenhuma das nove marcas de frango congelado analisadas, mas havia problema de higiene em três delas.



O frango congelado não pode ter excesso de água em forma de gelo. É um dano considerável ao bolso dos consumidores, que recebem uma cota extra de água, e menos carne, e configura-se fraude. Mas três de nove marcas avaliadas pela PROTESTE continham excesso de água acima dos limites permitidos. Uma delas, a Rica, foi mal avaliada pela terceira vez, mas melhorou em relação aos testes anteriores.

Os frangos congelados inteiros da Rica (6,72%), Averana (9,16%) e Confina (10,58%) apresentaram índices superiores ao limite de 6% de água no peso da carcaça do frango congelado. Esse problema é uma preocupação da PROTESTE, que desde 2009 faz testes para avaliar se a antiga fraude continua castigando o consumidor brasileiro, beneficiada por fiscalização insuficiente.

O teste também avaliou a higiene dos produtos. Três marcas foram reprovadas nesse critério: Rica, Alliz e Copacol, porque foram detectados micro-organismos indicadores de falta de higiene, e que podem causar problemas para a saúde do consumidor. Os produtos só não foram eliminados porque é o tipo de alimento que, necessariamente, passará por cozimento antes do consumo e, assim, os micro-organismos nocivos à saúde humana morrem.

No entanto, vale destacar o risco da contaminação cruzada: imagine que o frango possui micro-organismos patogênicos e a água que ele solta se espalhe sobre a pia. Caso outro alimento tenha contato com aquela água e seja consumido cru, como uma alface, por exemplo, pode haver contaminação.

Evite comer frango ou outras carnes mal cozidas, até porque o uso indiscriminado de antibióticos na criação animal contribui para a geração de bactérias cada vez mais resistentes. Dessa maneira, para o cozimento completo, o ideal é que o fogo esteja em temperatura acima de 62ºC por pelo menos 15 minutos.

Não foram encontrados resíduos de antibióticos em nenhuma das marcas. Também não foram detectados problemas no aspecto, coloração e consistência. O odor e sabor eram adequados.

Na análise de rotulagem, as marcas Alliz, Averama, Canção, Confina e Sadia não informavam o lote, embora apresentassem data de fabricação e validade. Trata-se de informação importante, pois quando há um problema com o produto, a identificação do lote permite uma melhor rastreabilidade para o recolhimento. 

O Sadia foi o mais apreciado pelos consumidores, levando-o aos títulos de o melhor do teste e a escolha certa.

Desde 2010 há legislação, para cortes de frango, que contempla a realização de análise química para medir a proporção entre umidade e proteína na carne, com parâmetros variáveis conforme o tipo de corte.

Entretanto, para o frango inteiro, a avaliação do teor de líquido perdido deve ser realizada após o descongelamento do produto na embalagem. A Portaria nº 210/1998 delimita que carcaças de aves podem ter até 6% de água após descongeladas.

Foram avaliados frangos das marcas: Alliz, Averama, Canção, Confina, Copacol, Flamboiã, Rica, Sadia e Seara.


Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e ganhe acesso ao conteúdo exclusivo que reservamos para você! 

Se você é associado PROTESTE e precisa de ajuda com nosso conteúdo ligue para (21) 3906-3980.


Imprimir Enviar a um amigo