Notícia

Picolés têm teor de açúcar acima do recomendado

08 outubro 2015
picolés

08 outubro 2015

As análises dos sabores chocolate e limão de oito marcas indicaram o mesmo problema. Uma das marcas analisadas apresentou coliformes fecais indicando falta de higiene no processo de fabricação.


O verão está chegando, e um dos alimentos preferidos para se deliciar em dias muito quentes é o picolé. Ao checar a qualidade dos produtos oferecidos no mercado, constatamos excesso de açúcar e uma marca apresentou presença de coliformes. O ideal é consumir os sorvetes sempre com moderação. 


Foram avaliadas oito marcas (Kibon, Nestlé, Rochinha, Oggi Delícia, Diletto, Jundiá, Ice By Nice e Bruna) de dois sabores tradicionais no mercado brasileiro, o de chocolate (à base de leite) e o de limão (à base de água). 



Percentual excedente de açúcar chega a quase 10% 


Numa dieta saudável, somente 10% das calorias que consumimos em um dia devem ser provenientes de açúcares. Mas o picolé de limão Fruto’s da Oggi, por exemplo, tem teor de 22% de açúcar, quando o teor máximo recomendado é 12,5%. E ainda tem apenas 17% de matéria-prima sólida. Ou seja, 83% dele é composto por água. Já o picolé de chocolate Bruna apresentou presença de coliformes fecais, o que pode indicar falta de higiene durante a produção. 



Picolés à base de leite são mais calóricos e gordurosos 


Um picolé feito com leite fornece mais proteínas e gorduras do que um com água. Devido à presença do leite, o valor calórico dos picolés de chocolate é muito mais alto do que os de limão. Em média, um picolé de chocolate possui 169 kcal por 100g, enquanto o de limão possui quase a metade – 88 kcal por 100g.  O picolé de chocolate tem 6,3% de gorduras, enquanto o de limão 0,1%.




Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo