Notícia

Teste de food trucks mostra que é preciso ter cautela na escolha do veículo e da comida

27 julho 2016
foodtruck

27 julho 2016
Sistema precisa passar por ajustes para oferecer instalações seguras e alimentos que sigam as normas corretas de higiene. Confira o resultado da análise e veja quais problemas foram encontrados.

Teste de food trucks mostra que é preciso ter cautela na escolha do veículo e da comida

A PROTESTE avaliou seis eventos com food trucks, fixos e itinerantes, no mês de abril, no Rio de Janeiro e em São Paulo. Os resultados do teste mostram que alguns funcionários ignoram cuidados básicos de higiene, como lavar as mãos ou usar luvas descartáveis ao preparar os pedidos. Também negligenciam normas de segurança, como as de combate a incêndio, o que coloca em risco a segurança dos frequentadores.

Alimentos têm bactérias devido a falta de higiene 


Além de conferir a infraestrutura de cada evento, foram comprados de churros a comida tailandesa em 28 estabelecimentos. Depois, mantendo as condições ideais de conservação, eles foram levados para análise em laboratório. Constatou-se que 35% dos produtos tinham bactérias indicadoras de higiene – mesófilos aeróbios – acima do limite seguro, sinalizando a falta de higiene durante a manipulação.

A comida tailandesa adquirida na feira Benê Food, na Praça Osvaldo Cruz, em São Paulo, por exemplo, apresentou 36 vezes mais Bacilus Cereus (bactéria patogênica) do que o recomendado por resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária  (Anvisa). Não se mostrou segura por poder causar intoxicações alimentares devido à ingestão de toxinas (diarreica ou emética).

Desrespeito às normas de segurança causa risco aos frequentadores

Na mesma feira foram constatadas diversas falhas de segurança, que expõem a riscos as pessoas que frequentam o evento. Nas demais feiras também foram identificadas ameaças, com botijões mal posicionados, faltam de extintores de incêndio, fios espalhados pelo chão, mau aterramento de quadros de luz e muitos outros problemas. A PROTESTE enviou ofício à Prefeitura pedindo providências urgentes. 

Apesar dos resultados encontrados, não é preciso deixar de consumir nesses estabelecimentos. Porém, você deve ter bastante cautela na escolha do veículo e da comida. Pois é preciso que ofereçam ao consumidor instalações seguras e alimentos que sigam as normas corretas de higiene. 

Foram  avaliados no Rio de Janeiro: Food Park Carioca- Tijuca, evento fixo realizado no estacionamento do hipermercado Extra; o Mixturado Rio Park, da Barra da Tijuca; a feira Planetária, na Gávea, que ocorre esporadicamente no Planetário da PUC-Rio; além do Festival Beer&Food, na Barra da Tijuca, evento realizado no estacionamento do Shopping Via Parque. 

Em São Paulo foram visitadas as feiras fixas Benê Food de Arts, da Praça Osvaldo Cruz, e o Tatuapé Street Park, realizado num estacionamento.


Veja o que foi avaliado no teste

Foram verificados se estavam sendo  atendidos os seguintes requisitos gerais: direitos do consumidor; sinalização adequada; medidas de segurança contra incêndio; segurança elétrica; condições de higiene dos parques e dos alimentos; acessibilidade e infraestrutura.  

 Em relação a acessibilidade foram avaliados: a ausência de desníveis na área de circulação; existência de solo prejudicando a circulação com cadeirantes e/ou cadeirinhas de bebês; e a existência de rampas de acessibilidade.

Também foram verificadas as condições de higiene do local e dos alimentos, avaliando a exposição dos alimentos para venda; a higiene dos manipuladores de alimentos (atendentes); a limpeza ao redor dos locais de preparação dos alimentos, há existência de depósitos de lixo em quantidades suficientes e acondicionados de maneira adequada; o tempo médio para limpeza de mesas;  e a quantidade e localização de lixeiras.


Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo