Notícia

Teste identifica problemas em hambúrguer do Habib’s e do Giraffa’s, no Rio de Janeiro

24 outubro 2016
análise-hamburguer

24 outubro 2016
PROTESTE constatou falha de higiene em uma e encontrou espécie animal de carne diferente da informada em outra loja. Confira todos os estabelecimentos analisados.

A PROTESTE fez uma parceria com o Procon Carioca e o Procon Santa Catarina para realizar teste em hambúrgueres congelados de fast-foods, em que a maioria deles apresentou bom desempenho. Mas houve problemas de higiene em uma loja e de espécie animal de carne diferente da informada em outra rede do Rio de Janeiro.

Dos 12 estabelecimentos avaliados, apenas o Habib’s do Rio de Janeiro apresentou falhas de higiene na manipulação/fabricação dos alimentos. Havia coliformes termotolerantes em quantidade 100 vezes superior ao limite permitido por lei. A presença destes microrganismos indica que há a necessidade de melhorias na higienização de equipamentos, utensílios e mãos dos manipuladores de alimentos, já que estes são os formas mais frequentemente passíveis às contaminações.

Carne do Giraffa's  contém espécies diferentes

Já o Giraffa´s  do Rio de Janeiro apresentou problemas no hambúrguer, onde além da carne bovina foi constatada a presença do DNA de espécies animais diferentes (frango e porco) da informada. O que é perigoso ao consumidor que é alérgico principalmente à carne de porco, pois fica vulnerável e pode desencadear reações alérgicas, ao consumir o produto.

PROTESTE cobra fiscalização

Em relação aos problemas de higiene encontrados foram pedidas providências à Vigilância Sanitária para mais fiscalização nos estabelecimentos e ao Ministério da Agricultura foi informada a presença de espécies diferentes da indicada pelo estabelecimento para apurar se houve falha na produção ou um indicativo de fraude econômica, afim de reduzir o custo do produto.

Além dos hamburgueres, testes recentes realizados pela PROTESTE também identificaram problemas em tapiocas e a reprovação de marcas de azeites por fraude na composição do produto. 

Associe-se a PROTESTE, confira detalhes exclusivos de todos os nossos testes e saiba como fazer sempre as melhores escolhas.

hamburguer-laboratorio
Como fizemos o teste

Para as análises foram coletadas 42 amostras de hambúrguer congelado em cada uma das cozinhas de 12 estabelecimentos: MC Donald’s, Bob’s, Burguer King, Giraffa’s, Habib’s e Subway, localizados no Rio de Janeiro e em Florianópolis. Eles foram levados ao laboratório para testes de Identificação da espécie animal (DNA) – para avaliar qual tipo de espécie animal de carne continham: boi, cavalo, cachorro, gato, porco e frango; para conferir a presença de organismos geneticamente modificados (OGM); avaliar a presença de antibióticos e verificar as condições microbiológicas. 

Este teste foi produzido graças ao apoio de mais de 250 mil associados em todo o Brasil. Junte-se a esta luta para termos produtos de qualidade! Associe-se agora a PROTESTE!

Foram feitas análises para detectar se havia também os microrganismos: Estafilococos coagulase positiva, Clostridium sulfito redutor, Salmonella sp. e Bacillus cereus. Nesses quesitos, todas as marcas atenderam aos limites estabelecidos por lei. Todos os produtos avaliados apresentaram resultado negativo no teste que verificou se havia a presença de OGM nas amostras. Também não foi encontrado problema em relação aos antibióticos

Consumo de fast-food deve ser moderado

A PROTESTE alerta que apesar dos bons resultados das análises trata-se de um produto cujo consumo  deve ser moderado.  Os hambúrgueres, especialmente os sanduíches prontos, contêm grandes quantidades de gorduras e sódio, prejudiciais ao sistema cardiovascular, aumentando o risco de hipertensão. Além disso, contribuem para o ganho de peso, podendo levar à obesidade, em caso de consumo elevado.

 

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo