Notícia

Dieta: a alimentação dos brasileiros está mais saudável

01 abril 2015
alimentação saudável

01 abril 2015

Nossa pesquisa revela que houve importantes mudanças no comportamento das pessoas em relação ao que põem na mesa e no carrinho de compras.

Olhe para o seu prato ou o de seus familiares. Se ele andar mais colorido do que costumava ser, com mais legumes, verduras e menos carne, parabéns, e saiba que você faz parte de um clube cujos integrantes se alimentam cada vez melhor. É uma grata tendência crescente que observamos em nossa recente pesquisa.


Dos 760 participantes, ouvidos entre setembro e dezembro de 2014, 48% disseram ter comido menos proteína animal no último ano, dos quais 98% a substituíram por proteína vegetal, como a soja. Desses, 24% afirmaram que deixaram de consumir carne pelo menos uma vez por semana.

 

Menos guloseimas e mais frutas nos pratos dos brasileiros

A busca por uma dieta mais balanceada se reflete na redução da compra de doces, sobremesas, refrigerantes e carne vermelha no supermercado. Por outro lado, os carrinhos estão sendo abastecidos com mais frutas, legumes e peixes.

  • 51% estão tirando os doces do carrinho

  • 33% estão comprando mais peixes

  • 35% estão dando mais espaço para legumes, verduras e frutas


  • 37% compraram menos carne vermelha

  • 48% comeram menos proteína animal e mais proteína vegetal

 

Saúde, sabor e preço definem o que é levado para casa

Na hora de escolher o que levar para casa, os entrevistados dão mais relevância a três aspectos: se o alimento é saudável, se é gostoso e o seu preço. A curiosidade por informações é grande, tanto que 65% disseram que sempre leem os rótulos dos produtos. 


Desses, 98% procuram a data de validade; 77%, a data de fabricação; e 68% verificam as informações nutricionais. São atitudes que garantem alimentos mais frescos e, consequentemente, uma refeição mais balanceada. Além, é claro, de não caírem nas famosas pegadinhas da alimentação saudável.  

 

Consumidor mostra preocupação com produção sustentável

Esse consumidor também mostra ter uma consciência social e ambiental acerca de o que come. Assim, 94% estariam dispostos a consumir mais produtos orgânicos se a oferta fosse maior. Além disso, 40% disseram que pagariam até 5% a mais em alimentos orgânicos e que garantissem o bem-estar animal.



Nível educacional e gênero influenciam alimentação saudável

Os resultados são positivos e mostram que os brasileiros estão mais cientes e preocupados em levar uma vida e dieta mais saudável. Entretanto, essa conscientização ainda está diretamente associada ao nível educacional, já que, quanto mais alta a escolaridade, maior é a disposição para uma alimentação mais equilibrada.

O gênero, no caso, as mulheres, também influencia, já que, além de se mostrarem mais flexíveis para comer produtos saudáveis, são elas as responsáveis por abastecer a despensa da casa de 62% dos entrevistados, conduzindo-os, assim, rumo a uma dieta mais balanceada.  



Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e ganhe acesso ao conteúdo exclusivo que reservamos para você!



Imprimir Enviar a um amigo