Notícia

Adegas não cumprem o que prometem

11 fevereiro 2014

11 fevereiro 2014

A oferta crescente de adegas no mercado brasileiro nos faz refletir sobre a questão: será que as adegas climatizadas estão de fato preparadas para o clima tropical brasileiro? 

As adegas climatizadas podem não conservar os vinhos de forma adequada. Foi o que constatou a PROTESTE ao analisar as ofertas de sete marcas de adegas com sistema de refrigeração termoelétrico na Internet. Das marcas avaliadas, não é recomendada a compra de nenhuma delas em cidades quentes, com temperaturas acima dos 25ºC na maior parte do ano, por perderem sua eficiência.

Os problemas foram encontrados em anúncios disponibilizados nos sites dos fabricantes. As informações sobre a suscetibilidade das adegas à temperatura ambiente estão presentes apenas nos manuais de instruções, o que pode induzir o consumidor ao erro no momento da compra. 

A Brastemp informa em seu site que as adegas “conservam os vinhos durante as estações mais quentes do ano”. A Electrolux não apresenta as especificações técnicas referente ao tipo de sistema de refrigeração de suas cinco adegas no site, mas nos manuais de instruções dos modelos CS08 garrafas e ACS12 12 garrafas, a empresa “recomenda o uso em locais com temperatura ambiente de até 25ºC para garantir uma melhor performance.”

A Cadence informa que suas três adegas são indicadas “para ambientes com a temperatura controlada.A Dynasty, por sua vez, não disponibiliza dados técnicos de suas sete adegas e nem manual de instruções no site.

A GE também apresenta restrições de temperatura ambiente de suas quatro adegas, apesar das adegas ofertadas serem com sistema compressor. E a Vicini fornece informações detalhadas sobre suas três adegas apenas nos manuais de instruções.

O fato é que a manutenção constante da temperatura é fundamental para a conservação do vinho, sensível ao calor e a luz excessiva. Grandes variações podem envelhecer a bebida precocemente e até mesmo deteriorá-la, tornando-se imprópria para a degustação. Já que a temperatura ambiente de 25ºC é o limite indicado pelos fabricantes para o bom desempenho dos produtos.

Diante disso, a PROTESTE não recomenda a compra e utilização de adegas climatizadas com sistema termoelétrico em solo brasileiro, sob risco de desempenho insatisfatório. 

No Brasil não há uma norma técnica que estabeleça os critérios mínimos de qualidade e desempenho para as adegas climatizadas. 

Por isso, A PROTESTE sugeriu à Associação
Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) a criação de uma comissão para avaliar o assunto e definir uma norma que leve em conta o clima brasileiro, e com isso, ter produtos mais eficientes no mercado.

Se você possui uma adega climatizada e ficou interessado na avaliação que está sendo realizada pela PROTESTE, colabore com a nossa pesquisa de satisfação de uso. 

Para participar, basta responder o questionário abaixo relatando sua experiência pessoal de uso deste aparelho. As respostas são anônimas e serão utilizadas apenas para analisar o nível de satisfação dos consumidores brasileiros com as adegas climatizadas.

Acesse aqui para participar.


Imprimir Enviar a um amigo