Como fizemos o teste

Cadeirinhas para carros

Segurança para impacto frontal: em um veículo adequado para o teste (estrutura de um Golf), instalamos o sistema de retenção infantil (cadeirinha), conforme orientação do fabricante. Este veículo foi colocado sobre um trilho que alcançou uma velocidade máxima de 71 km/h até simular um impacto frontal de 64 km/h.

Neste ponto, verificamos o deslocamento da cabeça. Depois, foram medidas triaxialmente: a aceleração da cabeça, as cargas no pescoço, as forças na junção do pescoço com a cabeça e a aceleração do tórax.

Segurança para impacto lateral: em um veículo adequado para o teste, é instalado o sistema de retenção infantil (cadeirinha), conforme orientação do fabricante. O veículo foi colocado sobre um trilho que alcançou uma velocidade de 28 km/h até simular um impacto lateral.

Neste ponto, verificamos o deslocamento da cabeça. Depois, foram medidas triaxialmente: a aceleração da cabeça, as cargas no pescoço, as forças na junção do pescoço com a cabeça e a aceleração do tórax.

Facilidade de uso: avaliamos se o manual estava escrito em português, se as informações eram claras, se as figuras eram lógicas e estavam próximas às informações a que se referiam. Conferimos ainda se as informações contidas na cadeirinha estavam presentes nos dois lados e se elas tinham as mesmas cores que as do manual de instrução.

Além disso, foi avaliada a facilidade de instalação da cadeira ao veículo, verificando suas conexões e presilhas, além dos ajustes dos arnês (cinto da cadeirinha). Para aquelas que precisavam de conversão, como no caso do grupo 0+/1, avaliamos a facilidade desse processo. Também foi verificada a facilidade para colocar a criança na cadeirinha, após a sua instalação, e se as posições dos cintos prendiam as crianças nos lugares certos.


Imprimir Enviar a um amigo