Notícia

Proibição do Uber no RJ vai contra liberdade de escolha do consumidor

Mesmo com a sanção pelo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, da lei que proíbe o transporte remunerado de passageiros em carros particulares, como Uber, na cidade, é possível que o serviço continue sendo prestado por conta de  uma decisão judicial de Abril deste ano, que autorizou a atividade na cidade. 


Direitos dos consumidor não podem ser prejudicados 

A PROTESTE entende que a lei do Rio vai na contramão da liberdade de escolha do consumidor e a Associação é favorável a aplicativos de transportes que facilitem a vida do consumidor, dentro de um sistema regulatório justo e aceitável.

“As mudanças tecnológicas e da sociedade brasileira são rápidas e estão alterando as relações econômicas existentes. Temos de tomar cuidado para que a defesa, por vezes legítima, de determinados interesses de classe não prejudique os consumidores", afirma Henrique Lian, gerente de Políticas Públicas da PROTESTE.

Na tentativa  de fazer valer a lei, publicada no Diário Oficial desta segunda-feira , 28,  a vereadora Vera Lins, autora da lei informou que recorrerá a um recurso para derrubar a atual decisão judicial, para proibir o funcionamento do Uber no Rio de Janeiro.

Segundo a lei, os veículos serão fiscalizados pelo órgãos municipais que deverão coibir a prática deste tipo de transporte remunerado. O texto ainda destaca que o descumprimento terá como resultado penalidades pertinentes à infração de transporte irregular de passageiros. 

taxiuber
Apenas taxistas estão autorizados a realizar serviço 

De acordo com a norma, os serviços de transporte público individual remunerado de passageiros serão mantidos através dos veículos legalizados pelo município apenas para os taxistas, profissão regulamentada através da Lei estadual nº 6.504.

O projeto que proíbe o aplicativo Uber foi aprovado pela Câmara do Rio na sessão do dia 16 de novembro. Em agosto de 2015, os vereadores do Rio já tinham aprovado um projeto contra o aplicativo. Mas, em abril deste ano, a Justiça do Rio deu uma liminar autorizando os motoristas credenciados no aplicativo a exercerem o transporte remunerado individual de passageiros, até que a questão fosse regulamentada pelo Poder Público.

 


Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2205 (de telefone fixo) ou (21) 3906-3800 (de celular).


Imprimir Enviar a um amigo