Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Rav 4, da Toyota, recebe nota máxima em teste de colisão
O modelo com 7 airbags, recém lançado pela montadora japonesa, recebeu pontuação máxima na avaliação da Latin NCAP
22 maio 2019 |
crash test rav 4

O Toyota Rav 4, produzido no Japão, recebeu cinco estrelas para Proteção de Ocupantes Adultos e Ocupantes Infantis, enquanto o Renault Kangoo, produzido na Argentina, conquistou apenas três estrelas para Proteção de Ocupantes Adultos e quatro estrelas para Proteção de Ocupantes Infantis. Esses foram os resultados apresentados em 23 de maio, durante mais uma série de resultados do Programa de Avaliação de Veículos Novos para a América Latina e o Caribe, Latin NCAP.

O recém-lançado Toyota Tav 4, equipado com sete airbags como equipamento padrão e Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC), em todas as versões, mostrou boa proteção para seus ocupantes nos três testes de colisão realizados (frontal, lateral e lateral de poste). O modelo também atendeu, satisfatoriamente, aos requisitos do teste ESC (estabilidade em curvas). A quinta geração do Rav 4 alcançou a máxima qualificação para ocupantes adultos e crianças, além dos Advanced Awards do Latin NCAP para a Frenagem Autônoma de Emergência (AEB) como equipamento opcional e Proteção para Pedestres como padrão em todas as suas versões. Vale ressaltar que a Toyota recomenda a instalação da cadeira de criança de três anos de idade, bem como a da criança de 18 meses virada para atrás, seguindo as recomendações globais mais recentes.

Já o Renault Kangoo, que ainda não é comercializado no Brasil, equipado com dois airbags como equipamento padrão e ESC, mostrou proteção razoável para os ocupantes adultos em impacto frontal. O modelo apresentou proteção fraca no tórax no teste de impacto lateral, muito próximo do nível máximo de lesões permitido para o tórax. Se esse nível fosse atingido, o modelo mal teria atingido o máximo de uma estrela para Proteção do Ocupante Adulto. A estrutura do impacto lateral exibiu uma alta intrusão do carro no compartimento de passageiros. A estrutura do habitáculo e a área dos pés foram consideradas instáveis e verificou- se que a estrutura não era simétrica em termos de construção entre o lado do motorista e o lado do passageiro. Esta situação levanta a questão de como irá se desempenhar no teste de batida frontal, ao realizar o impacto do lado do passageiro.

Alejandro Furas, Secretário Geral do Latin NCAP, afirmou que “o sólido resultado de cinco estrelas do Rav 4 deve encorajar os consumidores a exigirem cinco estrelas também em modelos de menor valor no mercado. Esse resultado relevante também deve impulsionar os governos a apoiar sistematicamente as estratégias de informação do consumidor para que o mercado mude o mais rápido possível. Sistemas independentes de informação ao consumidor mostraram grande sucesso nos países desenvolvidos, trazendo carros mais seguros para o mercado mais cedo e acima dos padrões locais, como resultado de uma reação voluntária dos fabricantes de veículos conforme a demanda do consumidor”. 

Sobre a performance do Renault Kangoo nos testes, Alejandro relembra a liderança da montadora francesa no mercado europeu: “A Renault decepcionou com um novo modelo como o Kangoo, com um resultado que mal chega a três estrelas em segurança para adultos e com uma proteção fraca contra impactos laterais. É hora de fabricantes, como a Renault, oferecerem veículos, na América Latina e no Caribe, desenvolvidos para proteger as pessoas e não apenas para passar nos testes. Deve se lembrar que a Renault costumava ser o líder do mercado na Europa em referência à segurança”.

O Presidente da Comissão Diretiva do Latin NCAP, Ricardo Morales, também se pronunciou sobre o resultado dos testes e disse que “é surpreendente que, em 2019, ainda existam fabricantes globais que desenvolvam novos modelos para alcançar os resultados mínimos aceitáveis de três estrelas e que não pretendam conquistar resultados de cinco estrelas. É inconcebível que alguns fabricantes continuem a oferecer modelos de cinco estrelas para países e regiões desenvolvidos e não ofereçam os mesmos níveis de segurança para a América Latina e o Caribe. Os governos devem apoiar fortemente o Latin NCAP; esse mecanismo de colaboração provou sua eficácia em todo o mundo, mas infelizmente isso não acontece em nossa região. Consumidores, fabricantes e governos devem, juntos, impulsionar veículos mais seguros para a América Latina e o Caribe".

Sobre o Latin NCAP

O Programa de Avaliação de Carros Novos para a América Latina e o Caribe (Latin NCAP) foi lançado em 2010 para desenvolver um sistema regional independente de testes de colisão de veículos e de qualificação de segurança na região. O Latin NCAP replica programas de testes de consumidores similares desenvolvidos nos últimos trinta anos na América do Norte, na Europa, na Ásia e na Austrália, que demonstraram ser muito eficazes na melhora da segurança dos veículos. Desde 2010, o Latin NCAP vem publicado os resultados de mais de 100 veículos em dez fases de teste.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo número 4003-3907.

Leia também

t-cross-frontal
carro-sandero
chevrolet-cruze-crash-test-latin-cap
Captur teste 1

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.