Especial

Crash Test

12 novembro 2012

Como foi feito o teste

Como foi feito o teste

O Programa de Avaliação de Carros Novos para a América Latina (Latin NCAP) promoveu os testes de colisão (crash tests) de oito carros de passeio presentes em nove países da América Latina, todos disponíveis no Brasil, e muitos deles sucessos de venda na região.

Dos modelos testados, todos, com exceção do Renault Sandero, vinham equipados com airbags frontais, um para o motorista e o outro para o ocupante dianteiro.

Colisão frontal a 64 km/h

Cada automóvel foi submetido a uma colisão frontal a 64 km/h contra um obstáculo deformável, que simulava outro veículo. O carro colidiu com apenas 40% do obstáculo, como se o motorista estivesse tentando desviar.

Manequins representam os quatro passageiros

No banco da frente estavam dois manequins (dummies) adultos; no traseiro, outros dois simulavam uma criança de 18 meses e outra de três anos de idade em cadeirinhas recomendadas pelos fabricantes dos modelos testados. Os quatro manequins estavam equipados com sensores que registraram todos os choques.

Movimentos são registrados por câmeras

Seis câmeras de vídeo e dez máquinas fotográficas captaram todos os movimentos. Os registros foram analisados e, com base nos dados coletados, foi possível estimar qual o efeito de uma colisão real para cada parte do corpo dos ocupantes.

Fabricantes notificados

Após os ensaios, os fabricantes foram informados dos resultados envolvendo seus veículos.


Imprimir Enviar a um amigo