Notícia

O Lifan 320 é reprovado em teste do Latin NCAP

04 dezembro 2014

04 dezembro 2014

Modelo fabricado na China põe em risco a segurança do motorista e passageiro criança. 

No último resultado da Fase V do Programa de Avaliação de Carros Novos da América Latina (Latin NCAP), do qual a PROTESTE é parceira, o Lifan 320 foi considerado um dos carros menos seguros avaliados. Ele não obteve nenhuma estrela de cinco possíveis na proteção do ocupante adulto e criança, depois de ser avaliado em um teste de colisão frontal a 64 quilômetros por hora. 

Lifan 320 foi o carro menos seguro já avaliado

Foi testada a versão sem airbags do Lifan 320, fabricada na China, sendo a versão com o equipamento mais básico oferecido nos mercados da América Latina e do Caribe (LAC). 

A estrutura do 320 foi qualificada como instável, fato que somado a que o volante se soltou na batida dá motivos para avaliar que a segurança do passageiro adulto não melhoraria mesmo contando com airbags.

Os ferimentos causados na cabeça e no peito do motorista fizeram que o carro obtivesse zero estrela quanto à segurança do ocupante adulto. O 320 também obteve zero estrela quanto à segurança do passageiro-criança.

Ao contrário do realizado por todos os outros fabricantes, o fabricante do 320 não quis recomendar o uso de cadeirinha (os sistemas de retenção infantil - SRIs) para o teste do Latin NCAP, isso é punido com redução de pontos, já que se considera que os fabricantes são responsáveis pela segurança de todos os passageiros no veículo.

Mas esta última fase de avaliação, e cujos resultados foram divulgados em outubro último, contou também com modelos com bom desempenho. O Volkswagen Golf obteve pontuação máxima na proteção do passageiro adulto e criança, e o Toyota Corolla teve cinco estrelas na proteção adulta e quatro para criança.

Carros vendidos na América Latina

É importante que carros vendidos na América Latina e que também são encontrados em mercados da Europa, Ásia e nos Estados Unidos tenham níveis similares de segurança. Por isso, o Latin NCAP ampliou o grau de exigência e passou a cobrar um nível "europeu" de segurança dos carros fabricados e vendidos América Latina.  Atualmente para obter o índice máximo de cinco estrelas, os novos modelos devem ter bom desempenho no teste de impacto, não impondo impactos que supõem lesões fatais aos ocupantes.

Carros com cinco estrelas aprovados no teste de impacto para adultos devem também ser aprovados no teste de impacto lateral seguindo a norma 95 das Nações Unidas. As mudanças servem para balizar novos padrões para fabricantes e para os governos, bem como ampliar a noção de segurança dos compradores de carros.

Confira todos os modelos avaliados nesta fase:

* Teste de colisão frontal: Baseado no desempenho, o carro impacta 40% da dianteira contra uma barreira deformável a 64 km/h. O carro é avaliado com quatro passageiros, sendo dois dummies (bonecos) adultos na frente, um de três anos e outro de um ano e meio no banco de trás, que estão com os sistemas de retenção infantil recomendados pelo fabricante.  


Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e ganhe acesso ao conteúdo exclusivo que reservamos para você!



Imprimir Enviar a um amigo