Notícia

PROTESTE exige garantia de gás natural

19 novembro 2007

19 novembro 2007

A Associação de Consumidores considera inaceitável que se repita o desestímulo similar ao que ocorreu com os veículos a álcool nos anos 80.

A Associação de Consumidores PROTESTE encaminhou à Presidência da República ao Ministério das Minas e Energia, e Casa Civil e solicitou audiência pública à Comissão de Defesa do Consumidor, da Câmara Federal, para que haja esclarecimentos em relação à política de abastecimento de Gás Natural Veicular (GNV).

Para a entidade, é inaceitável que o governo estimule o consumo de GNV, e depois não garanta o abastecimento para o consumidor brasileiro. Além disso, a PROTESTE também defende a garantia de abastecimento industrial do gás natural, em função de seus efeitos ambientais menos nocivos do que outras fontes energéticas.

“O desencontro de informações entre Presidência da República, Ministério de Minas e Energia e Petrobras deixa claro que não há uma política energética digna desse nome. E nos faz lembrar da campanha pelo carro a álcool, na época da ditadura militar e que deixou na mão os motoristas que haviam acreditado no estímulo governamental“, critica Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Associação de Consumidores PROTESTE.

Acrescenta que o Brasil está ameaçado de conviver com o caos aéreo e o energético ao mesmo tempo. De acordo com a PROTESTE, não há como o governo falar em desenvolvimento sustentável se não garante gás natural, nem funcionamento normal nos aeroportos.

Hoje há cerca de 1,4 milhão de veículos a gás, muitos dos quais tiveram a conversão do motor após incentivo para que se adotasse o combustível. O GNV é o combustível menos poluente disponível no mercado. A Associação de Consumidores PROTESTE defende medidas urgentes para que não se repita a crise de abastecimento de gás natural, que recentemente, abalou os Estados do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Entre os incentivos para a conversão do motor para o GNV os motoristas tiveram redução de IPVA, como no caso do Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná. Quem fez a conversão tem que ter garantia de GNV para abastecer.

A Associação de Consumidores PROTESTE fez os cálculos e constatou que financeiramente hoje já não compensa a conversão de veículos particulares para gás natural para quem roda pequenos trechos por dia, inferiores a 100 km. Para quem já dispõe de um automóvel flex, este investimento não é válido. De qualquer forma, encher um cilindro de 10 metros cúbicos de gás sai muito mais barato do que um tanque com 50 litros de álcool. E o GNV é o combustível menos poluente disponível no mercado.

Confira o custo para a instalação do Kit Gás considerando um cilindro de 7,5 litros/m3, no Estado do Rio de Janeiro:

Itens Preço Médio (R$)
Kit Gás R$ 1.684,00
Redução de IPVA 75%
Seguro do Carro aumento do seguro varia de acordo com o modelo do carro
Taxa de Homologação R$ 80,00

Fonte: Associação de Consumidores PROTESTE. Preço de referência para o cilindro de 7,5 m3 no Rio de Janeiro.

Um exemplo prático da economia proporcionada pelo gás natural: um automóvel que roda em média 200 Km por dia e que faz 12 Km por litro de gasolina, na cidade:

- Gasolina x GNV: R$ 280,04/mês (economia de mais de 100% do valor acumulado se usar somente GNV).
- Álcool x GNV: R$ 54,29/mês (economia de aproximadamente 20% do valor acumulado se usar somente GNV)


Imprimir Enviar a um amigo