Notícia

Rádios pouco práticos

22 agosto 2012

22 agosto 2012

Nosso teste revelou modelos parecidos, mas de qualidade diferente.

A primeira coisa que nos chamou atenção durante nosso mais recente teste com sons de carro é que os modelos disponíveis no mercado possuem, basicamente, as mesmas funções. Condição que também vale para os modelos que reproduzem vídeo. Por isso, o que de fato vai diferenciar um do outro é a facilidade de uso, proteção contra roubo e qualidade do som.

Todos os quinze rádios testados (oito com DVD/MP3 e sete com CD/MP3) possuem entrada USB e auxiliar, além de reproduzirem tanto CDs convencionais quanto os gravados com músicas no formato MP3.

Entre os modelos que reproduzem apenas CDs e MP3, três deles não possuem a função mute (ou atenuação do som). Em relação à função RDS – que permite que as emissoras de rádio enviem para o aparelho o nome da estação – somente quatro dos modelos testados possuem esse recurso.

É difícil até sintonizar uma estação de rádio

Gravar uma estação de rádio e fazer a procura manualmente ou automaticamente deveria ser algo relativamente fácil de se executar. Mas não é isso que ocorre com os sons testados. Só um modelo básico e um com DVD foram considerados bons nesse quesito, além dos aparelhos com touchscreen.

Também encontramos sérios problemas para ajuste de graves e agudos em quase todos os modelos. É preciso acessar a função menu para fazer esses ajustes, o que implica na perda de tempo e em distrações ao motorista.


Imprimir Enviar a um amigo