Especial

Cartão é igual a dinheiro

30 julho 2009

Nas compras a PROTESTE orienta fugir de loja que cobrar preço diferente no pagamento com cartão de crédito.

Mobilização

A PROTESTE discorda de relatório do Banco Central que aponta a regulamentação do setor com aceitação de preço diferenciado. Por isso, está se  mobilizando para que não se aceite pagar mais ao usar o cartão. E tramita o Projeto de Lei do Senado (PLS) 492/2009, que quer alterar o Código de Defesa do Consumidor “para permitir a fixação de preço diferenciado na venda de bens ou na prestação de serviços pagos com cartão de crédito em relação ao preço à vista”. Ele está na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.

Você não tem que pagar as taxas cobradas pelas operadoras de cartões

A expansão do número de consumidores que utilizam cartões de crédito revela a praticidade e a segurança dessa forma de pagamento. Porém, não é você, que já arca com os custos da anuidade de seus cartões, que deve pagar as taxas cobradas pelas operadoras.

O contrato foi estabelecido entre o lojista e as operadoras e você não tem nada a ver com isso: as empresas prestam um serviço e os comerciantes pagam por ele.

Por isso, nós repudiamos o abuso da cobrança de preço diferenciado e não aceitamos que você tenha que pagar mais caro ao utilizar um forma de pagamento à vista como é o cartão de crédito.

Evite as lojas que cobram preço diferenciado

Assim, a PROTESTE enviou ofícios com nossas propostas para autoridades federais, informando e pedindo apoio. Se você quiser saber os detalhes do pedido na íntegra, consulte os documentos adicionais.

Mas, para que a nossa proposta ganhe força e possa sair do papel, sua participação é fundamental. Exercite um direito que você tem como consumidor e não pague mais caro com cartão!


Imprimir Enviar a um amigo