Especial

Cartão é igual a dinheiro

30 julho 2009

Nas compras a PROTESTE orienta fugir de loja que cobrar preço diferente no pagamento com cartão de crédito.

O que nós queremos

A PROTESTE foi contra a aprovação de um projeto de lei que seria desvantajoso para o consumidor. Ele permitiria aos lojistas cobrarem um preço maior pelas compras realizadas com cartão de crédito. O projeto de Lei (PLV) nº 12/2009, passou pelo Senado e foi votado na Câmara no início de agosto do ano passado.

O consumidor já paga a anuidade de seus cartões e não deve arcar com os custos operacionais deste sistema de pagamento. Por isso, a PROTESTE promove uma mobilização para:  

  1. Impedir que o projeto de lei fosse aprovado pela Câmara Federal.
  2. Pressionar as autoridades para que o setor de cartões de crédito seja regulamentado por uma lei específica e fiscalizado por um órgão regulador, que observe os interesses dos consumidores, numa livre concorrência.
  3. Livrar os consumidores das diversas armadilhas de que são vítimas ao utilizar cartões de crédito.
  4. Conscientizar os consumidores sobre o abuso da cobrança diferenciada, incentivando-os a não pagar mais caro em compras com cartão de crédito.
  5. Esclarecer os consumidores de que o pagamento com cartão de crédito é considerado como um pagamento à vista.

Cartão de crédito é pagamento à vista

O cartão de crédito é uma forma de pagamento à vista, assim como dinheiro ou cheque. Por isso, a PROTESTE repudia o abuso da cobrança de preço diferenciado no cartão e não aceita que o consumidor tenha que pagar mais caro ao utilizar esse meio.

Por isso, a PROTESTE enviou ofícios com nossas propostas para as autoridades federais, com posicionamento sobre a questão e pediu apoio. Se você quiser saber os detalhes do pedido na íntegra, consulte os documentos adicionais.  

Nossa mobilização ganhou força, sua participação foi fundamental.

Compre apenas em lojas que cobram à vista o mesmo preço do cartão de crédito e exija: cartão é igual a dinheiro!


Imprimir Enviar a um amigo