Notícia

Apesar das taxas os bancos têm clientes fiéis

25 setembro 2012

25 setembro 2012

Segundo a pesquisa realizada pelo PROTESTE, as taxas atreladas ao saque no cartão de crédito são abusivas, chegando a 700%.

Mais da metade dos participantes da pesquisa mantém sua conta corrente no mesmo banco há pelo menos dez anos. A grande parte (74%) possui conta corrente no mesmo banco em que recebe seu salário ou pensão – a maioria no Banco do Brasil (37%), no Itaú Unibanco (19%) e no Bradesco (18%).

Entretanto, um dos dados mais preocupantes da pesquisa é que 39% dos entrevistados não sabem quanto pagam para ter uma conta corrente. Esse dado determina se o produto contratado é o mais adequado ao perfil de consumo. Também descobrimos que muitos entrevistados pagam mais do que a mensalidade do pacote contratado, isto acontece ao usar serviços e funções além dos que estão disponíveis.

Mais da metade dos entrevistados teve problemas nos dois últimos anos, sendo o principal a cobrança e os encargos de juros, seguido das transações não autorizadas. E somente 25% dos clientes ficaram muito satisfeitos com as soluções oferecidas para essas questões.

Em relação aos serviços oferecidos pelos bancos, à facilidade no uso de senhas e dispositivos eletrônicos, a execução correta das transações solicitadas e a segurança geral dos sistemas de transações via Internet (Internet banking) renderam elogios.

Um dos pontos negativos são as tarifas para fazer transferências bancárias e o custo de manutenção da conta, causando a insatisfação dos consumidores.

Taxas do saque no cartão de crédito assustam

Sobre os clientes que possuem cartão de crédito, os consumidores demonstraram maior satisfação com o limite disponível, perdendo apenas para a quantidade de estabelecimentos que aceitam o cartão. E a menor média de satisfação é em relação à taxa de juros do crédito rotativo, seguida das tarifas cobradas para retirar dinheiro em caixas 24 horas.

É importante destacar que, em caso de saque, você contratará um empréstimo, com taxas de juros iguais ou superiores às do crédito rotativo. Entretanto, a baixa média de satisfação com os cartões mostra que a maioria dos entrevistados têm consciência das taxas abusivas, mas muitos ainda entram no rotativo.


Imprimir Enviar a um amigo