Notícia

Venda do HSBC: você não pode ser prejudicado

11 junho 2015

11 junho 2015

Apesar da saída da instituição do mercado brasileiro, pacotes de serviços, empréstimos, financiamentos e juros acertados devem ser mantidos em todos os contratos.

hsbc letreiro


A PROTESTE Associação de Consumidores orienta os clientes do HSBC que, apesar das informações recentes de que o banco sairá do mercado no Brasil, não há motivo para pânico. O HSBC esclareceu em nota que está sob processo de venda, mas ainda não de encerramento de operações no país, e que continuará operando normalmente mesmo após a venda.


O que fazer


Mesmo que as mudanças não sejam imediatas, é importante que o correntista do banco verifique se o serviço prestado pela nova instituição é do seu interesse, se vai ser mantido o mesmo relacionamento que já existe com o gerente, conversar com o mesmo e acompanhar o que acontecerá daqui para frente.

Esse pode ser o momento de avaliar se não é o caso de mudar de banco, sem esperar que ele seja vendido. O simulador de conta corrente da PROTESTE mostra qual banco e tipo de conta tem o melhor custo-benefício para você. 



Utilização dos serviços contratados


Como haverá um período de adaptação, por ora, os clientes continuarão utilizando normalmente os diferentes canais de atendimento, cheques, cartões e demais produtos e serviços do banco. 

Pacotes de serviços, empréstimos, financiamentos, juros acertados e investimentos, tudo deve ser mantido conforme acertado nos contratos em vigência.



Processo de venda


Em casos semelhantes, como na fusão do Itaú e Unibanco e da aquisição do Banco Real pelo Santander, não houve prejuízos significativos para os consumidores. Se você é correntista no banco HSBC não pode ser prejudicado com a saída da instituição do mercado brasileiro.


Qualidade no atendimento prevalece


Independente do desfecho do caso, a qualidade do atendimento deve ser assegurada. Quem comprar o HSBC até pode diminuir o número de agências (atualmente são 850 em todo o país), desde que o consumidor não seja prejudicado.


Ficar horas na fila porque diminuíram a quantidade de caixas devido a mudança, configura má prestação de serviços. Nesse caso, você deve reclamar a um órgão de defesa do consumidor, como a PROTESTE, ou ao Banco Central. Caso haja alguma dúvida ou precise de mais informações, os associados PROTESTE podem entrar em contato com nosso Serviço de Defesa do Consumidor através dos telefones: (21) 3906-3800 (de telefone fixo) e 0800 201 3900 (de celular).


Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo