Notícia

PROTESTE participa da Semana de Educação Financeira e auxilia endividados

16 maio 2016

16 maio 2016

Participando do evento, PROTESTE dá dicas para suportar a crise e divulga Guia do Endividado que indica como adequar o orçamento às dificuldades e se livrar das dívidas.

A PROTESTE participa da Terceira Semana Nacional de Educação Financeira, de 16 a 22 de maio, reforçando a divulgação de seu Guia do Endividado, que vai de encontro ao objetivo geral do evento, de promover a Estratégia Nacional de Educação Financeira e divulgar o tema junto à população em geral. 


A publicação traz orientações para adequar o orçamento às dificuldades enfrentadas, e indica como se livrar das dívidas e a viver de acordo com a renda. Faça o dowload gratuitamente e aproveite: 


BAIXAR GUIA DO ENDIVIDADO 


O Guia também traz dicas sobre portabilidade de dívidas, conta corrente, reserva para emergência, renegociação de dívida, seguro desemprego, cartão de crédito, dentre outras. 


Educação financeira é fundamental em tempos de crise 


A Semana Nacional de Educação Financeira é organizada pelo Comitê Nacional de Educação Financeira, presidido pelo Banco Central do Brasil no ano de 2016. Durante a semana são desenvolvidas pelos parceiros iniciativas gratuitas que contribuem para a promoção de conhecimento, informação e orientação para fomentar o hábito de poupar e trabalhar em prol da educação financeira


Entre as atividades programadas durante a semana, incluem-se palestras sobre uso responsável do crédito, gestão financeira, cursos e atividades de educação financeira nas escolas. Com o agravamento do endividamento pelo brasileiro, a PROTESTE avalia que é importante reforçar atividades que o ajudem a encontrar saídas e renegociar dívidas. 


Endividamento: saiba quando ficar em alerta 


O alerta do endividamento deve ser acionado quando se tem 30% do orçamento comprometido com dívidas. Para saber quanto do orçamento está comprometido, é importante somar todas as parcelas de financiamentos que se paga, incluindo as compras parceladas em lojas (mesmo que não incidam juros sobre elas). 


Um comprometimento de 30% ou um pouco mais já é preocupante, mas você tem todas as condições de reverter o quadro. Será preciso dar preferência à quitação das dívidas, abrir mão de alguns gastos pessoais, de lazer e fazer pequenas economias em casa que a situação melhorará muito. 

Endividamento acima de 50% é preocupante 


Quando o endividamento passar de 50% é preciso mudar o estilo de vida para reverter a situação. Podem ser necessárias medidas como trocar o carro por um modelo mais barato e econômico, suspender a TV por assinatura, trocar marcas de produtos mais caras por mais baratas. Qualquer renda extra como 13º salário, adicional de férias e eventual restituição do imposto de renda, deve ser utilizada para quitação ou amortização das dívidas


Já o superendividado é aquele que tem 100% ou mais de sua renda comprometida com dívidas. Mudanças radicais devem ser feitas para se alcançar o equilíbrio financeiro, como morar em um lugar mais barato, mudar os filhos de escola (talvez da particular para a pública), vender o carro, dispensar a empregada ou a diarista. Infelizmente, às vezes, se chega a essa situação por desatenção ou compulsão consumista, e tem de fazer mudanças que afetam diretamente sua qualidade de vida. 



Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo