Notícia

Atenção ao crédito na hora de viajar

23 janeiro 2014

23 janeiro 2014

Se você, realmente, precisa viajar e está sem dinheiro, fique atento a todas as possibilidades para não acabar pagando juros mais altos ao lançar mão de algumas modalidades de empréstimo.

A necessidade (ou possibilidade) de viajar pode surgir de repente e para que você não acabe se endividando no cartão do crédito, cheque especial ou até mesmo no crédito específico disponibilizado pelos bancos, siga as nossas dicas para avaliar todas as alternativas:

 

  • Para uma viagem de última hora, há duas alternativas: contar com o auxílio de uma agência, que costuma cobrar uma taxa por seus serviços, ou agir por conta própria. Na segunda alternativa, há a possibilidade de parcelar sem juros apenas as passagens. Quanto ao hotel, vai depender de cada caso, assim como os passeios que você possa ter interesse.

 

  • Vale a pena pedir um desconto para pagamento do pacote de viagem à vista na agência apenas se o desconto total for superior à taxa cobrada no CDC.

 

  • Para parcelar o pacote de viagem no cartão de crédito, você precisa estar ciente de que tem que assumir uma dívida que consiga pagar. Lembre-se de que os juros do crédito rotativo são muito superiores às taxas praticadas em qualquer empréstimo no mercado.

 

  • Você também não pode se comprometer com os gastos de uma viagem contando em usar o cheque especial, que só pode ajudá-lo durante alguns dias. Depois do rotativo do cartão, essa é a forma de crédito mais cara.

 

  • Se você não tem o limite no seu cartão de crédito para parcelar a viagem e não conseguir aumentá-lo, será necessário recorrer a um crédito. Vale ressaltar que o crédito mais barato é o consignado. Porém, se você não tiver acesso a essa modalidade, opte pelo CDC específico para viagens.

 

  • Fique atento também porque todo crédito direto ao consumidor (CDC), diferentemente de um empréstimo pessoal, não significa apenas a liberação do dinheiro na conta do cliente. Em geral, você necessita vincular a um fim específico. Nesse caso, apenas o Bradesco exige um orçamento ou um comprovante da agência de turismo ou da companhia aérea, ou qualquer outro documento que comprove as despesas com a viagem pretendida.

Imprimir Enviar a um amigo