Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Vai financiar um imóvel na Caixa? Fique atento às novas taxas de juros
Os mutuários do programa Minha Casa Minha Vida, voltado à população de baixa renda, podem ficar tranquilos, pois os juros que pagam não devem sofrer mudanças.
11 janeiro 2019 |
crédito imobiliárioCaixa02

A classe média passará a pagar juros mais altos ao contratar um financiamento habitacional na Caixa. Esta foi uma das novidades anunciadas na posse do novo presidente do banco, Pedro Guimarães, no dia 7, em Brasília (DF). 

De acordo com o executivo, a classe média deve pagar juros similares aos praticados por outras instituições no mercado para linhas de crédito sem subsídio do governo. 

Na Caixa, a taxa mínima anunciada para financiamentos pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) foi de 8,75% ao ano, mais Taxa Referencial (TR). 

Já as cartas de crédito oferecidas pelo Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) terão taxas a partir de 8,75% ao ano mais TR, para imóveis que custarem até R$ 1,5 milhão. Para imóveis acima de desse valor, os juros serão de 9,5% ao ano acrescidos de TR.

A linha Pró-cotista (financiada pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS – e destinada a trabalhadores com carteira assinada), por sua vez, foi anunciada com juros entre 8,76% e 9,01% ao ano, mais TR. 

credito-imobiliariocaixa03


Minha Casa Minha Vida é dividido em quatro faixas de renda  

As taxas de juros mais baixas para financiamento habitacional são as do Minha Casa Minha Vida. 

Os mutuários do programa, por sinal, não precisam se preocupar, pois a nova gestão da Caixa garante que não haverá aumento nos juros de suas linhas de crédito.    

O programa habitacional é dividido em quatro grupos, conforme as faixas de renda mensal bruta

Faixa 1: renda de até R$ 1,8 mil → sem incidência de juros;
Faixa 1,5: renda de até R$ 2,6 mil → Juros de 4,59% a 5,11% ao ano;
Faixa 2: renda de até R$ 4 mil → Juros entre 6 e 7% ao ano;
Faixa 3: renda de até R$ 9 mil  → Juros de 8,16% ao ano.

O Banco do Brasil também oferece o programa Minha Casa Minha Vida, destinado a famílias com renda de até R$ 9 mil que queiram comprar um imóvel residencial com valor máximo de R$ 300 mil. A taxa de juros parte de 5,5% ao ano. 

 credito-imobiliariocaixa 

É preciso aceitar algumas condições para reduzir os juros

Vale lembrar que os bancos costumam divulgar as taxas mínimas e que, para conseguir juros mais baixos, você deve aceitar uma série de condições, como estabelecer um relacionamento mais estreito com a instituição financeira. Você também precisa estar atento ao pacote de serviços que deverá contratar. 

Outros critérios que ajudam a reduzir os juros são o valor do imóvel pretendido, o perfil e a renda do consumidor

Contudo, para escolher um financiamento, considere o melhor Custo Efetivo Total (CET), que os bancos são obrigados a informar. O CET refletirá o custo total do financiamento, já levando em conta todas as taxas envolvidas, além das taxas de juros. Isso torna a comparação entre bancos mais fácil.

De acordo com a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), os financiamentos imobiliários com recursos da poupança somaram R$ 51,3 bilhões no acumulado em 2018, até novembro. 

O volume representa uma alta de 30,1% na comparação com 2017, mas segue bem abaixo do total movimentado em 2014: R$ 112,9 bilhões.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo número 4003-3907.

Leia também

casal-sonhando
compra-de-carro (1)
seguro-carro-negado

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.