Notícia

O Custo Efetivo Total é desconhecido por lojistas e é preciso ficar de olho ao parcelar compras

14 novembro 2016
CET-informacao

14 novembro 2016
A informação se tornou obrigatória há 8 anos, mas ainda é desrespeitada pelos comerciantes que ao não informar, impossibilita que o consumidor escolha a alternativa mais vantajosa. Saiba como denunciar.

Estudo realizado pela PROTESTE constatou que há lojas que não informam o Custo Efetivo Total (CET) das compras parceladas. Pior: os lojistas não sabem do que se trata. O problema é é que, quando o comércio deixa de informar esse dado, você fica sem saber ao certo os custos do que está contratando e não tem como fazer comparações para saber onde é mais vantajoso comprar. 

Desde 2008, é obrigatório que o consumidor seja informado sobre o indicador que agrupa todos os custos envolvidos na compra parcelada, como por exemplo: os juros, Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), seguros, entre outros encargos. Nem sempre a loja que oferece o juro mais em conta tem o custo mais baixo no financiamento. Por isso, as informações são necessárias para que o consumidor não seja induzido a erro. 

Maioria não possui informação 

Para o estudo a PROTESTE visitou anonimamente no Rio de Janeiro estabelecimentos das lojas: Casas Bahia, Fast Shop, Ponto Frio, Ricardo Eletro e uma loja de cada hipermercado: Carrefour e Walmart. Também acessou os sites das lojas visitadas e Americanas.com, Shoptime e Submarino e analisou materiais publicitários, como encartes disponíveis nas lojas. 

Nas visitas, foram verificados se os produtos continham informações sobre o CET, e se os lojistas sabiam como calculá-lo. Na consulta, apenas a rede de supermercados Walmart e os sites Americanas.com, Carrefour, Shoptime e Submarino informaram de forma clara e legível o CET em todos os produtos que podem ser parcelados. Já as lojas físicas do Ponto Frio e Casas Bahia divulgavam a taxa, mas em letras tão minúsculas que eram ilegíveis. 

preco-produto
Fast Shop não apresenta informações claras

A Fast Shop destacava os encargos financeiros em percentuais anuais, sem deixar claro que se referiam ao CET, enquanto as lojas físicas do Carrefour divulgavam apenas as taxas do cartão da marca, sem esclarecer que se trata do CET. Quando o produto exposto não tinha indicação de parcelamento, os pesquisadores simulavam a quantidade de parcelas supostamente desejadas para adquirir o item em questão. 

Quanto aos encartes publicitários, apenas o folheto do Walmart mostrava o CET de forma clara e legível nas ofertas de parcelamento dos produtos. 


Walmart e Carrefour: lojistas não sabem calcular o CET 

Quando pedimos, então, aos lojistas para calcular o CET, os funcionários não conseguiram sequer fazer um esboço da conta, nos supermercados Walmart e Carrefour. Nas demais lojas, foi calculada a diferença em reais do valor a prazo para o da compra à vista, o que está errado. Ou seja, evidência do profundo desconhecimento da taxa que é obrigatória desde 2008. 

problema-compras

Não encontrou informação do CET? Denuncie! 

O ideal aconselha é sempre pagar à vista, mas se, você tiver que parcelar, fique de olho aberto. Caso se depare com a falta da informação do CET, não feche negócio. Insista para que o lojista lhe repasse o dado. E, se o fornecedor se negar, não hesite em denunciá-lo. Afinal, o direito à informação é garantido por lei e o não cumprimento disso pode até ser motivo de anulação do contrato.
 
Caso haja problemas ou dúvidas, reclame com a ajuda da PROTESTE ou entre ou ligue 0800 282 2201 para que possamos ajudar a fazer valer os seus direitos como consumidor.

A informação do CET deve estar disponível na publicidade (jornais, revistas, televisão, rádio, internet), nas ofertas (terminais eletrônicos, internet, folhetos entregues em financeiras, mala-direta, entre outros meios) e no contrato, além de estarem expressos de forma clara, legível em percentual anual.

 

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo