Notícia

Ofertas de crédito: o melhor é fugir delas

07 outubro 2016
armadilha de crédito

07 outubro 2016

As várias possibilidades disponíveis por aí funcionam como isca, que leva as pessoas ao consumo sem limites e, assim, ao endividamento. 

preocupação com finanças

Cartão de crédito, crédito pessoal, cheque especial, limites pré-aprovados. Já parou para pensar na imensa variedade de opções de crédito disponíveis para você? Essa soma pode atingir valores exorbitantes, especialmente para quem possui conta em mais de uma instituição financeira. Por isso, todo cuidado é pouco: a oferta desenfreada de crédito costuma ser bem superior à renda das pessoas.

Pensemos na seguinte situação: o consumidor Felipe tem renda de cerca de R$ 10 mil e conta em sete bancos. Isso lhe garante um crédito total aprovado de mais de R$ 213 mil. Desse valor, R$ 76 mil podem ser usados em um único mês. Basta gastar o limite de todos os cartões de crédito e usar o cheque especial de todas as instituições. Isso significa que esse valor precisa ser pago integralmente no mês seguinte para não incorrer juros de atraso e rotativo, por exemplo. Sendo a dívida quase oito vezes maior do que seu salário, é praticamente impossível pagá-la. É aí que a bola de neve começa a se formar.

Em outro caso, o consumidor João possui uma renda entre R$ 3 mil e R$ 5 mil, e só o Itaú disponibiliza para ele R$ 32 mil, entre cartão de crédito, cheque especial e crédito pré-aprovado. Ou seja, como no exemplo anterior, o crédito é oito vezes superior à renda, desde que ele não tenha qualquer outro tipo de reserva ou investimento.

 

compra a crédito

 

Faltam critérios rígidos de avaliação

É fácil constatar que há uma falha grave na liberação do crédito ao consumidor. Os bancos não avaliam o valor do crédito que um cliente já possui em outra instituição. Cada um faz sua análise e libera quantias altas que, somadas, vão muito além da capacidade de pagamento do consumidor. Também não são claros os critérios usados pelas instituições para analisar o perfil de endividamento e o risco de inadimplência.

Dessa maneira, cobramos mais rigor dos bancos na concessão de limites do cartão de crédito, do cheque especial e de empréstimos pré-aprovados pela Internet e caixas eletrônicos. Queremos ainda que as instituições financeiras abram publicamente os critérios para a liberação de crédito.

E se perceber que essa oferta exagerada está acontecendo com você, ou se já está endividado por conta disso, podemos tentar ajudá-lo. Ligue para 0800-201-3900 (fixo) ou 3906-3900 (celular).

Por outro lado, sejamos sinceros. A culpa não é exclusiva dos bancos. O consumidor tem a sua parcela. Sem planejamento das despesas, acaba usando o crédito disponível no desespero e de qualquer forma. Falta ao brasileiro, em geral, educação financeira. Peça fundamental em tempos de crise.

Para evitar as dívidas, nunca ultrapasse 30% de sua renda mensal com parcelas, pague o total da fatura do cartão de crédito até a data do vencimento e evite fazer compras que não são urgentes. Além disso, nunca gaste mais do que tem – procure fazer um planejamento mensal com uma planilha.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo