Notícia

Bancos oferecem crédito pré-aprovado de até 8 vezes além da renda

20 setembro 2016
crédito-endividamento

20 setembro 2016
O ideal é não comprometer além de 30% de sua renda com dívidas. Porém, identificamos que a atual oferta de crédito “fácil” pode levar ao endividamento.

Pesquisa da PROTESTE mostra crédito pré-aprovado de até 8 vezes além da renda

As instituições financeiras continuam a ofertar de forma desenfreada as linhas de crédito emergenciais e mais caras do mercado, como cheque especial e cartão de crédito. Foi o que constatou levantamento da PROTESTE ao contabilizar todo o dinheiro liberado pelos bancos em três perfis reais de três consumidores: com rendimentos entre R$3 e R$10 mil. 

Facilidade pode gerar dívidas impagáveis 


Num dos casos avaliados o consumidor tem renda de cerca de R$ 10 mil e conta em sete bancos. Isso lhe garante um crédito total aprovado de mais de R$ 213 mil. Desse valor, R$ 76 mil podem ser usados em um único mês, gastando o limite de todos os cartões de crédito e usar o cheque especial de todos os bancos. 

Isso significa que esse valor precisa ser pago integralmente no mês seguinte para não incorrer juros de atraso e rotativo, por exemplo. Sendo a dívida quase oito vezes maior do que seu salário, é praticamente impossível pagá-la. É aí que a dívida vai se tornar impagável, principalmente diante do aumento do desemprego, queda da renda e persistência da inflação. 

Evite cair em armadilhas 

Em outro caso, o consumidor possui uma renda entre R$ 3 mil e R$ 5 mil, levamos em consideração que a renda é desse consumidor é de R$ 4 mil e só o banco Itaú disponibiliza para ele R$ 32 mil, entre cartão de crédito, cheque especial e crédito pré-aprovado. O crédito é oito vezes superior à renda. 

crédito-armadilha

“O crédito pré-aprovado já está na conta, não precisa de autorização, e o consumidor acaba sendo fisgado pela facilidade e se enrola facilmente”, afirma Renata Pedro, técnica da PROTESTE. Mas não é só dos bancos a responsabilidade de se evitar os altos níveis de endividamento. “Os bancos precisam oferecer crédito consciente, mas também é dever do consumidor ter um orçamento equilibrado e não gastar mais do que deve”, destaca Renata. 

Dicas para não se endividar 

A oferta de crédito fácil pode ser tentadora, mas é preciso ter consciência e tomar alguns cuidados para não cair em armadilhas. Confira nossas dicas e evite o endividamento: 

  • Nunca ultrapasse 30% da renda mensal com parcelas; 
  • Pague o total da fatura do cartão de crédito até a data do vencimento;
  • Reveja os gastos e faça cortes quando necessário; 
  • Evitar fazer compras que não são urgentes, e nunca gastar além do orçamento. 
  • Faça planejamento mensal se possível com auxílio de uma planilha.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo