• Home
  • Dinheiro : Imóveis
  • Alta dos juros no financiamento imobiliário fará consumidor desembolsar até R$ 113 mil a mais
Notícia

Alta dos juros no financiamento imobiliário fará consumidor desembolsar até R$ 113 mil a mais

10 abril 2015

10 abril 2015

Confira o estudo realizado pela PROTESTE que indica que a alta dos juros no financiamento imobiliário fará consumidor desembolsar até R$ 113 mil a mais nos perfis analisados.

O custo total de um imóvel de R$ 800 mil financiado na Caixa Econômica Federal aumentou quase R$ 113 mil reais, com reajuste de 8,23% para quem tem 35 anos, e pretende pagar em 30 anos, 70% do valor do imóvel. A PROTESTE fez esta constatação ao avaliar quanto subiram, em março, os custos do financiamento imobiliário em comparação a junho do ano passado, após o aumento dos juros do crédito imobiliário. 

Dentre os perfis analisados, o impacto maior foi para quem pretende adquirir imóvel de R$ 800 mil.

Confira na tabela abaixo, quanto o consumidor pagará a mais ao fim do financiamento, em relação ao custo total com a alta dos juros para este perfil, nos diferentes bancos analisados. 



Juros subiu na maioria dos bancos

Houve aumento expressivo dos juros na maioria dos bancos, porém neste perfil a Caixa Econômica Federal foi o banco com a maior diferença em pontos percentuais. Para quem quer ou tem relacionamento  mais conta salário com a Caixa, os juros aumentaram em 1,5 pontos percentuais.

Já para quem quer ou tem apenas relacionamento com o banco os juros subiram 1,6 pontos percentuais. Para quem não tem ou não quer nenhum tipo de relacionamento essa diferença ficou maior ainda, em 1,81 pontos percentuais. Logo, o Custo Efetivo Total (CET) aumentou também.

Para este perfil, a escolha certa continua sendo o HSBC, pois tem o menor CET do perfil. Não é possível afirmar que o Banco do Brasil tem o menor CET, pois para este perfil o Banco do Brasil não permitiu simular o prazo em 30 anos, assim como foi feito para todos os outros bancos.

 

Obs: Todos os dados foram obtidos através de simulação realizada no site dos próprios bancos.

* O Banco Citibank não disponibiliza mais o simulador de financiamento imobiliário em seu site, por este motivo não é possível realizar a simulação atual.

****Para este perfil, o Banco do Brasil só permitiu prazo de 300 meses (25 anos) de financiamento na simulação mais atual (março de 2015), por este motivo não podemos comparar o financiamento do Banco do Brasil de Junho de 2014 com o atual.


Alta do Custo Efetivo Total 

A alta do Custo Efetivo Total (CET) foi muito maior para os imóveis financiados pelo Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), que envolve financiamentos com valores superiores a R$ 750 mil para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal, ou R$ 650 mil para os demais estados.

Sobre os financiamentos incidem uma série de custos adicionais tais como taxas administrativas, seguros. Devido a esses encargos o custo do financiamento é maior que a taxa contratada. No financiamento imobiliário o uso do CET se mostra nitidamente como a melhor ferramenta de comparação entre as modalidades, a taxa resume quanto de fato lhe custará o crédito que lhe está sendo fornecido.

Para ajudar o consumidor a escolher o melhor financiamento, a PROTESTE conta com um simulador de crédito imobiliário. Com ele é possível saber quais bancos apresentam as taxas mais baratas de acordo com cada perfil, e ajuda a economizar com uma opção que caiba no bolso.


Os perfis analisados foram:




Perfil I

Para o perfil I que se adequa ao Minha Casa Minha vida, observamos que não houve qualquer mudança nos juros para os bancos que oferecem o programa ( Caixa e BB). Porém percebemos que os juros subiram para todos os outros bancos, especialmente para o Santander, Itaú e HSBC que aumentaram os juros em 0,5 pontos percentuais.  Logo, o o CET aumentou também.

Para este perfil, a escolha certa é o programa minha casa minha vida da Caixa, pois tem o  menor CET 7,8% a.a

Obs: Todos os dados foram obtidos através de simulação realizada no site dos próprios bancos.

* O Banco Citibank não disponibiliza mais o simulador de financiamento imobiliário em seu site, por este motivo não é possível realizar a simulação atual.


Custo final após alta dos juros

Em termos de custo final, avaliamos o quanto a mais o consumidor pagará com a alta dos juros para os perfis. No caso do perfil I, No banco Santander o consumidor pagará mais de R$ 9 mil a mais, isso significa um aumento de 3,13% no custo total do financiamento.

Para a nova simulação a caixa disponibilizou uma nova seguradora, que apresentou um CET menor do que as demais, por isso fizemos a simulação em relação a esta seguradora. No estudo anterior esta seguradora não estava disponível, por esse motivo nos perfis I e II mesmo com os juros maiores, o total do financiamento em alguns casos ficou menor na nova simulação.

Obs: Todos os dados foram obtidos através de simulação realizada no site dos próprios bancos.
* O Banco Citibank não disponibiliza mais o simulador de financiamento imobiliário em seu site, por este motivo não é possível realizar a simulação atual.
** O Banco Itau não disponibiliza na simulação o valor de cada parcela, por isso não é possível calcular o valor total financiado.


Perfil II

Para o perfil II, observamos que houve aumento dos juros na maioria dos bancos, e novamente os bancos o Santander, Itaú e HSBC se destacaram na alta dos juros. As três instituições acresceram os juros em 0,5 pontos percentuais  Logo, o CET aumentou também.

Para este perfil, a escolha certa continua sendo a Caixa econômica federal, pois apresenta os menores CETs , tanto para quem tem ou quer relacionamento + conta salario, para quem quer ou tem somente relacionamento quanto para quem não quer nenhum tipo de relacionamento com o banco, somente o financiamento imobiliário. 

Obs: Todos os dados foram obtidos através de simulação realizada no site dos próprios bancos.
* O Banco Citibank não disponibiliza mais o simulador de financiamento imobiliário em seu site, por este motivo não é possível realizar a simulação atual.
*** Para este perfil o Banco do Brasil só permite prazo de 300 meses (25 anos) de financiamento.


Custo total do financiamento

Em relação ao custo total que o consumidor pagará ao fim do financiamento, avaliamos o quanto o consumidor pagará a mais com a alta dos juros para os perfis. No caso do perfil II, no Santander o consumidor pagará mais de R$ 25 mil a mais, isso significa um aumento de 3,19% no custo total do financiamento. 

Obs: Todos os dados foram obtidos através de simulação realizada no site dos próprios bancos.
* O Banco Citibank não disponibiliza mais o simulador de financiamento imobiliário em seu site, por este motivo não é possível realizar a simulação atual.
** O Banco Itau não disponibiliza na simulação o valor de cada parcela, por isso não é possível calcular o valor total financiado.
***Para este perfil o Banco do Brasil só permite prazo de 300 meses (25 anos) de financiamento.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e ganhe acesso ao conteúdo exclusivo que reservamos para você!



Imprimir Enviar a um amigo