Notícia

Crédito imobiliário mais fácil com cartilha

08 maio 2014

08 maio 2014

Desenvolvida em parceria com o Canal do Crédito, ferramenta orienta se há vantagem na troca de banco e ajudam a fazer as contas para baratear a dívida.

A troca de banco para baratear a dívida do financiamento imobiliário agora tem regras mais claras sobre migração do saldo devedor, prazos e obrigações das instituições financeiras. Mas, como nem sempre a troca é vantajosa, a PROTESTE, em parceria com o Canal do Crédito, lança a cartilha online “Portabilidade de Crédito Imobiliário”.

O primeiro passo é pedir ao banco atual um Demonstrativo da Evolução da Dívida (DED) com todas as informações do financiamento, que será a base para procurar outras propostas.

 

Compare os bancos

A forma correta de comparar dois ou mais bancos é pelo Custo Efetivo Total (CET). Nele estão inclusas todas as tarifas bancárias, seguros e taxas de juros relacionadas ao financiamento. No entanto, é preciso olhar também a economia real, isto é, quanto vai se economizar de fato. Para isso, é preciso levar em conta, além do CET, os custos extras com a portabilidade como, por exemplo, gastos com cartório.

O banco original deve fornecer ao devedor em até um dia útil, todas as informações necessárias ao devedor como: saldo devedor, nº do contrato, modalidade, taxa de juros etc. E o banco onde o consumidor tem o financiamento dispõe de cinco dias úteis para fazer uma oferta melhor ao devedor. Confira algumas dicas de Renata Pedro, especialista da PROTESTE, para fugir das pegadinhas.


A opinião da PROTESTE

A PROTESTE espera que as novas regras estimulem a concorrência entre as instituições financeiras, criando melhores condições de negociação para o consumidor poder exercer o seu direito de escolha. Espera-se que se viabilize o acesso dos brasileiros a linhas de crédito com menores taxas de juros. E que se promova, consequentemente, um cenário favorável ao crescimento sustentável do crédito.

Para a PROTESTE, todas as portabilidades são importantes, pois ampliam as opções do consumidor, promovem a concorrência e contribuem para que ele tenha acesso a melhores serviços, inclusive na área financeira. Entretanto, a PROTESTE defende atenção especial às instituições financeiras que ainda não executam plenamente a portabilidade.


Imprimir Enviar a um amigo