Notícia

Aprenda a investir na bolsa de valores

20 maio 2014

20 maio 2014

Confira as dicas da PROTESTE para começar a investir na bolsa de valores e saiba por que é aconselhado investir em uma carteira de investimentos diversificada.

Para investir na bolsa de valores é preciso ter um pouco de sangue frio, pois tomar atitudes impulsivas baseadas nos últimos acontecimentos ou nas variações das cotações das ações pode causar prejuízos. Por isso, muitos investidores se questionam se já estão preparados para investir na bolsa.

A PROTESTE aconselha o investimento somente para pessoas com perfil moderado ou arrojado em relação ao risco. Lembre-se, tanto para um perfil como para o outro, o investimento em ações deve ser tratado dentro de uma carteira de investimentos diversificada e não apenas na compra de ações.

Ao contrário das aplicações mais conservadoras, as quais os brasileiros estão mais habituados, investindo em ações as cotações podem variar consideravelmente em um curto espaço de tempo. Por exemplo, em um dia é possível uma ação sofrer uma desvalorização ou uma valorização de 10%. Por isso, no caso de uma desvalorização uma ação no valor de R$ 40 no início do dia, no final do dia pode valer R$ 36. E como normalmente a compra de ações é feita em lotes, 100 ações significaria prejuízo de R$ 400 em um dia.

Entretanto, apesar das quedas, vender as ações ao primeiro sinal de desvalorização nem sempre é a melhor opção. Pois quando uma ação cai é difícil afirmar se continuará caindo ou se foi apenas momentâneo. Em alguns casos pode voltar rapidamente para o mesmo valor ou até valorizar em relação ao preço de compra.

Na bolsa de valores as decisões precisam ser tomadas com base nos fundamentos econômicos das empresas e em suas perspectivas de mercado. Entretanto, este tipo de análise não é simples. Para fazê-la é preciso estar atualizado sobre informações como demonstrações contábeis, planos de negócios, perspectivas de investimento da empresa, cenário macroeconômico, análise setorial do ramo de atividade da empresa, entre outros fatores.

Porém, muitas vezes as informações não são acessíveis ou são muito complicadas de analisar. Por isso, ao considerar o investimento em ações é fundamental estudar as empresas, ter um pouco de experiência com outros tipos de aplicações e também dispor de prazo para deixar o dinheiro investido.

Estudos sobre o assunto comprovam que o prazo é fundamental para sucesso nos investimentos: a partir de cinco anos os ganhos das ações tendem a superar as perdas acumuladas e inclusive superar as aplicações mais conservadoras. Porém, não existem garantias. Um investimento em ações mal selecionado, mesmo em longo prazo, tem grandes chances de perder para o rendimento da poupança ou até mesmo acumular prejuízo, ou seja, no final o investidor resgatar menos do que investiu. 


Imprimir Enviar a um amigo