Notícia

Saiba como a alta do dólar afeta seu dia a dia

29 janeiro 2016
Home dólar

29 janeiro 2016
Veja como os cenários político e fiscal afetam as cotações do dólar e saiba como diminuir o impacto que isso causa no seu cotidiano. Leia as dicas da PROTESTE!

A cotação do dólar afeta o preço de produtos importados, encarece as viagens ao exterior, interfere em contratos firmados em dólar e, pressiona a inflação. Ou seja, todos sofremos as consequências dessa desvalorização do real.


Em 2015, o dólar chegou a se valorizar 47% frente ao real, motivado principalmente pela crise econômica e política do Brasil, a expectativa de aumento da taxa de juros nos Estados Unidos, e a preocupação com a desaceleração da economia chinesa. Em 2016, o dólar já se valorizou 4,25%, e já chegou a se valorizar 6,43%. As razões dessa vez que mais contribuíram são a queda do preço do petróleo no mercado internacional, e o recuo do aumento dos juros pelo COPOM, o que sinaliza uma maior tolerância do Banco Central em relação a inflação no Brasil que já está alta.


Como diminuir o impacto do dólar


Para reduzir o impacto dessa escalada do dólar no dia a dia a saída é substituir alguns produtos que são importados. Para não pesar no bolso  tenha cautela ao comprar vinho importado, e alimentos, por exemplo. 


É preciso atenção com viagens para o exterior e compras internacionais no cartão de crédito ou em sites. Com a tendência de alta da moeda, fica difícil saber qual será a cotação no dia de fechamento da fatura. 

Para quem já tem viagem agendada para o exterior o ideal é ir adquirindo dólar aos poucos. Quem compra a moeda para viajar, certamente paga um valor ainda maior do que se vê na mídia. Isso porque as cotações são diferentes para várias operações. Nas cotações cobradas pelos bancos e agências de câmbio são adicionados taxas, impostos, e o ganho que eles vão obter com a operação.


Como funciona a cotação do dólar

As oscilações da cotação do dólar variam de acordo com a lei da oferta e da demanda - quanto maior a oferta da moeda americana, menor é sua cotação. Porém outros fatores podem causar influências nessa variação. 


O risco-país é um conceito utilizado para tentar definir o grau de instabilidade econômica, mostrando aos investidores qual é o perigo de se investir em um país. Quanto menor o índice de risco de um país, maior é o número de investidores estrangeiros, consequentemente mais dólares circulando no mercado daquele país.


Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo