Notícia

A PROTESTE ajuda você a renegociar suas dívidas

14 fevereiro 2017
Carteira vazia

14 fevereiro 2017
Nossos especialistas oferecem uma consultoria gratuita para ajudar você a organizar seu orçamento, renegociar débitos e sair do vermelho.

Se a sua vida financeira está com problemas, agora você pode contar com o Gabinete de Apoio e Educação Financeira. No mais novo serviço oferecido pela PROTESTE, especialistas prestam atendimento pessoal e ajudam os associados a readequar suas contas e ficar com o orçamento no azul.

 

Para utilizar o nosso serviço de consultoria financeira, basta entrar em contato pelo número: 

 0800 282 2204

 

Com o atendimento personalizado, será possível analisar individualmente a sua situação financeira e orientar a melhor forma de gerir seu orçamento e quitar as pendências financeiras.

 

Para a renegociação com os credores, cada situação será analisada de forma específica. Posteriormente será feito contato com as instituições financeiras para possíveis reestruturações das pendências, de acordo com condições permitam ao associado cumprir a suas obrigações de pagamento.

pessoas em acordo

A PROTESTE só fará intervenções extrajudiciais, renegociando apenas dívidas contraídas decorrentes de uma relação de consumo. Entretanto, mesmo durante a fase de renegociação, independentemente da intervenção da PROTESTE, o credor poderá cobrar por via judicial a dívida. Nesse caso não será indicado advogado para um processo judicial.

 

Documentos necessários

Para agilizar o seu atendimento, é importante que você tenha em mãos os seguintes documentos:

  • Comprovantes de renda;
  • Comprovantes de despesas;
  • Demonstrativos da dívida
    • Contratos,
    • Extratos da conta corrente,
    • Carnês e faturas de cartão de crédito;
    • Cópias das correspondências enviadas pelos credores.

 

Crise que não passa

A PROTESTE, que está sempre ao lado do consumidor brasileiro, acompanha as condições do crédito há anos. E tem lutado por juros compatíveis com a realidade. Por mais que a crônica instabilidade econômica do Brasil afete empregos e renda – dois maiores fatores da inadimplência – é possível melhorar a situação com a negociação  de melhores condições para pagamento dos débitos já existentes e  readequação orçamentária.

Carteira vazia

Como crédito não é renda, e sim compromisso financeiro, que deve ser pago, levou a  descontrole financeiro do consumidor. Mas as instituições tem forte papel pela concessão de crédito desordenado, e irresponsável assim como pela manutenção e juros de mais de 1000% ao ano, em algumas modalidades.

 

Em pesquisa realizada pela PROTESTE, pelo segundo ano consecutivo, com 1.259 pessoas, sobre a percepção do brasileiro sobre a crise econômica,  constata-se que aumentou de 55,60% para 67,40% a proporção das pessoas com  alguém dentro do núcleo familiar que  perdeu o emprego nos últimos 12 meses.

 

Feita em agosto último, a pesquisa concluiu que a situação financeira das famílias não melhorou em relação ao ano passado, 81,8% acreditam que está menos confortável do que há um ano atrás. Para 53,1% está muito menos confortável e para 28,7%, de alguma forma menos confortável (em 2015 esses números eram 52,3% e 30,4%, respectivamente). 

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo