Notícia

Como limpar o seu nome no SPC e Serasa

20 maio 2014

20 maio 2014

Como limpar o seu nome

Milhões de pessoas têm ou já tiveram o nome negativado em razão de dívidas não pagas. Aliás, com o apelo para o consumo, é fácil as pessoas caírem na tentação e comprar mais do que o orçamento permite. Quando o consumidor compra demais e não consegue pagar, seu nome é inscrito na lista de maus pagadores. Com isso, perde o crédito no mercado e não consegue comprar mais nada parcelado.

            A melhor forma de recuperar o crédito é pagando a dívida. Se o devedor não puder pagar a dívida à vista, poderá requerer o parcelamento do valor. Nesse caso, o nome deverá ser “limpo” logo no pagamento da primeira parcela. Seja como for, à vista ou parcelado, o nome deverá ser retirado do cadastro no prazo de até 5 dias após o pagamento. Se o credor ultrapassar esse prazo, o devedor poderá ingressar com uma ação judicial e requer a retirada do nome em função do pagamento ou acordo.

No entanto, existem outras formas de limpar o nome mesmo sem o pagamento. A primeira é pelo tempo. Segundo o Código de Defesa do Consumidor, o nome do devedor não pode ficar mais de cinco anos inscrito nos cadastros restritivos de crédito, a contar do vencimento da dívida e não da inscrição. Portanto, ainda que o devedor não pague a dívida, seu nome não poderá permanecer “sujo”. Mesmo assim, é importante ter em mente que o nome ficará “limpo” em cinco anos, mas a dívida poderá permanecer por dez anos. A retirada do nome do cadastro restritivo não significa extinção da dívida, que poderá, dependendo da dívida, continuar existindo por um prazo de dez anos, de modo que o credor poderá continuar cobrando por todo esse período.

            A retirada do nome no prazo de cinco anos deve ser automática. Caso o credor não retire, o devedor poderá ajuizar uma ação judicial obrigando o credor a “limpar” e, ainda, requerer uma indenização por danos morais, por manutenção indevida do nome no cadastro restritivo de crédito.

            Outra possibilidade de “limpar” o nome é entrando com uma ação judicial a fim de discutir a legalidade da dívida. Enquanto o juiz analisa o processo, antes da sentença, ele pode determinar a retirada da restrição do nome. Esse é o meio menos garantido, pois o juiz poderá determinar que o devedor efetue um depósito judicial com o valor da dívida, a fim de garantir o posterior pagamento, caso o credor tenha razão.

            Se uma pessoa pagou toda a dívida e o nome continua negativado, deverá entrar com uma ação judicial, juntando todos os comprovantes de pagamento e requer a imediata exclusão do nome da lista de maus pagadores, e, ainda, uma indenização por danos morais.

            Muitas vezes o devedor quer pagar a dívida, mas não sabe como. O devedor interessado em pagar a dívida, pode se dirigir a um posto de atendimento do SPC e Serasa e solicitar uma certidão onde constará todos os débitos e as empresas credoras. Para facilitar, o Serasa Experian criou um serviço chamado ‘Limpa Nome Online’ que ajuda o devedor a limpar o nome sem sair de casa. Através desse canal, o devedor terá acesso aos seus débitos com as empresas que tenham aderido ao serviço e poderá negociar e quitá-los diretamente com as empresas. Segundo o Serasa, mais de 110 mil pessoas já foram beneficiadas com o serviço.

            Quando a vontade de pagar do devedor se une a vontade de receber do credor, sempre sai um bom negócio.


Imprimir Enviar a um amigo