Notícia

Compras coletivas exigem fiscalização

09 dezembro 2013

09 dezembro 2013

A PROTESTE avaliou 6 sites de compras coletivas e encontramos muitas falhas, por isso, ao adquirir uma oferta em um desses sites, todo cuidado é pouco.

Com a regulamentação das novas regras para o comércio eletrônico, as empresas são obrigadas a fornecer informações claras do produto ou serviço, telefone para contato e endereço físico, além de facilitar o atendimento ao consumidor, mantendo o direito de arrependimento de sete dias.

Em nosso estudo, observamos diversas falhas nos sites de compras coletivas, como promoções anunciadas sem clareza ou com valores diferentes, falta de endereço físico e eletrônico, além da entrega de produto diferente do anunciado. Também encontramos ausência de nota fiscal e imposição de dificuldades para cancelamento de compra, mesmo estando dentro do prazo de arrependimento.

Encaminhamos esse resultado ao Procon do Rio de Janeiro e ao Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, do Ministério da Justiça, solicitando providências para regularizar a atividade dos fornecedores.



Imprimir Enviar a um amigo