Notícia

Controle seus ganhos e seus gastos

26 março 2017
porquinho e calculadora

26 março 2017
Essa recomendação é válida a todo momento. Mas, em tempos de crise, é ainda mais importante. Aprenda a fazer uma planilha de orçamento doméstico e, assim, fuja do endividamento.

Você sempre chega ao final do mês no vermelho? Infelizmente, isso afeta muita gente. Afinal, quem não consegue administrar os valores que recebe acaba, realmente, gastando mais do que ganha. O resultado disso é o endividamento e muitas dores de cabeça. Mas calma: vamos mostrar a você o caminho para organizar as suas finanças e colocar um fim nesse problema.
O primeiro passo para você conseguir viver dentro de sua realidade financeira é mudar o seu comportamento. E isso passa, necessariamente, pela classificação de seus gastos e do quanto recebe. Parece difícil? Mas não é. Basta você se organizar, montando uma planilha.

calculadora 

Coloque tudo na ponta do lápis
Faça sua planilha da maneira que for melhor para você: no Excel, no Word ou mesmo em um caderno. O importante é não deixar nenhum gasto fora dela – mesmo os mínimos, como uma bala! Muitas vezes, não consideramos custos pequenos, mas eles podem significar uma quantia razoável no final do mês. Vamos ao passo a passo:
● Some todos os seus ganhos (salários, pensões, extras, etc.).
● Liste todos os seus gastos ao longo do mês com o maior detalhamento possível. Separe em despesas fixas (aquelas cujo valor é o mesmo todos os meses, como aluguel, prestações de financiamento do carro ou da casa, mensalidades de escola ou cursos, planos de saúde, etc.), semifixas (também ocorrem todos os meses, mas variam conforme o consumo, como contas de luz e gastos com supermercado) e variáveis (não são certas de ocorrer todos os meses, como multas de trânsito, consertos, remédios, roupas, cinema, restaurantes ou um presente que você precise comprar).
● Some esses gastos.
● Subtraia as despesas dos ganhos e verifique o saldo.
● Se o resultado der negativo, você precisa tomar medidas para economizar. E isso vai desde poupar no consumo de luz, água e gás, passando por diminuir bastante os gastos com supermercado e lazer, até – nos casos mais drásticos – mudar para um apartamento com aluguel mais em conta. Só dessa forma conseguirá equilibrar as suas contas.
● Ser o resultado der positivo, guarde esse dinheiro para compor a sua reserva de emergência ou o invista. 

casal endividado 

Se tiver dívidas, renegocie
Outra medida importante para não gastar mais do que ganha é ficar de olho vivo nos dois grandes vilões do endividamento: o cartão de crédito e o cheque especial. No caso do cartão, se você não quitar o valor integral da fatura, pagará taxas de juros que chegam a mais de 1.100% ao ano! 
Em relação ao cheque especial, não faça como muita gente, achando que ele é uma extensão dos seus rendimentos. No mês seguinte, você terá que pagar juros exorbitantes sobre o valor que utilizou. E se as suas contas não fecham com o que ganha, a tendência é isso se tornar uma bola de neve: você passa a usar ainda mais o cheque especial e a pagar juros cada vez mais altos.
Numa situação dessas, é preciso fazer de tudo para zerar suas dívidas, buscando o banco e as operadoras de cartão de crédito para negociar o pagamento em condições melhores. E a PROTESTE pode ajudar você a fazer isso. Se é do Rio de Janeiro ou de São Paulo, mande um e-mail para protesteagenda@proteste.org.br, a fim de agendar uma visita aos nossos escritórios. Um especialista irá analisar o seu caso gratuitamente e ajudá-lo a sair do endividamento. Em breve, o serviço estará disponível em todo o Brasil. Aguarde!

banner

 

 


Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou (21) 3906-3900 (de celular).


Imprimir Enviar a um amigo