Notícia

Famílias brasileiras gastam mais do que ganham

19 novembro 2013

19 novembro 2013

A PROTESTE realizou uma pesquisa sobre despesas familiares e constatou em 37% dos lares a dificuldade em pagar todas as despesas mensais. Confira aqui nossas dicas para organizar a sua vida financeira e saiba como nossos simuladores podem contribuir com seu orçamento doméstico.

Os brasileiros estão com o orçamento apertado e gastam quase mil reais por mês além do que ganham, apontou a pesquisa da PROTESTE sobre despesas familiares. O estudo analisou as contas mensais de 818 famílias, na maioria com 3 ou 4 integrantes, e revelou as principais fontes de renda, quais são as despesas mais difíceis de liquidar e por que atualmente o cenário é negativo no fim do mês para a maioria delas.

Segundo dados do estudo, a renda média familiar é de 3.600 reais por mês e a metade delas recebem até mil reais por integrante. Os principais gastos domiciliares são voltados para cinco itens: moradia, transporte, alimentos, seguros e educação e no total são gastos em média 3.176 reais com as despesas fixas mensais. O problema geral constatado foi o elevado número de famílias com o orçamento acima dos ganhos, na faixa de 37% e mais da metade, 55%, gastam o salário todo antes do final do mês.

Para 20% das famílias algumas despesas estão impossíveis de arcar, como os seguros (carro ou casa) e planos de saúde. Já para 16% é o financiamento do automóvel e para outros 31% são as viagens de férias. Sobre a educação, 14% reclamaram dos preços de creches e escolas e seus adjacentes como material, livros e uniforme.

De acordo com a pesquisa, para driblar a falta de dinheiro no fim do mês 63% das famílias recorrem ao cartão de crédito e outros 48% ao cheque especial. Porém, desta forma pode-se aumentar ainda mais as dívidas devido as taxas de juros altíssimas dos bancos. Lembre-se, o cheque especial não faz parte do salário.

A crise financeira no lar também podem causar problemas de saúde. Os casos relatados mais comuns foram a dificuldade para dormir, irritabilidade e ansiedade. 30% dos entrevistados afirmaram ter recorrido ao uso de tranquilizantes. Estes sintomas podem ser uma consequência da redução das atividades de lazer. A dica é procurar alternativas de acordo com o orçamento.

E ainda, 14% dos participantes temem perder o emprego, já que 33% deles têm um membro da família desempregado desde 2012. A instabilidade no emprego gera uma sensação de descontrole e desanimo em fazer planos para o futuro.

A constatação na maioria dos relatos foi o declínio da situação financeira ao longo dos últimos anos. A saída de muitas famílias para pagar as contas foi abrir mão dos supérfluos. No entanto, percebemos que o essencial também é reduzido ou postergado para evitar novas despesas. Para não ficar no negativo e gastar por conta, siga as dicas da PROTESTE e organize seu orçamento familiar discriminando todas as receitas e gastos.

Leia ainda o artigo ao lado “Aprenda a fazer um orçamento doméstico” e conheça todos os nossos simuladores, que vão lhe ajudar a fazer um orçamento mensal – e assim ter uma perspectiva clara de suas finanças. Desta forma, você poderá estabelecer prioridades e cortar os supérfluos que pesam no seu bolso. Lembre-se de acompanhar seus gastos ao menos uma vez por semana para não levar sustos no fim do mês.

Confira na tabela abaixo um exemplo de um orçamento familiar:

Despesas Mensais

 Valor

Financiamento Imobiliário

792,00

Prestação de automóvel

767,00

Alimentação

648,00

Creche/ Jardim de infância

466,00

Seguros e planos de saúde

436,00

Educação e material escolar

357,00

Contas

356,00

Mobilidade e transporte 

281,00

Cuidados com a saúde

210,00

Atividades de lazer

175,00

Manutenção e serviços 

149,00

Higiene e cuidados pessoais 

147,00

Vestuário

136,00

Produtos de uso doméstico

92,00

Outros

72,00

Aparelhos elétricos e mobília

67,00




Imprimir Enviar a um amigo