Notícia

IPTU e IPVA: pagar à vista ou a prazo?

07 janeiro 2014

07 janeiro 2014

A decisão de pagar à vista ou deixar o dinheiro investido e parcelar os valores destes impostos vai depender do desconto previsto em cada localidade. Confira:

O mês de janeiro chegou e com ele diversas contas extras como o IPTU e IPVA. Por isso, a PROTESTE aconselha os consumidores sobre a decisão de pagar esses tributos à vista ou parcelado e da possibilidade de deixar o dinheiro render em algum investimento.

No caso do imposto municipal conhecido como IPTU, os contribuintes da cidade do Rio de Janeiro que pagarem o tributo de uma só vez recebem o desconto de 7% sobre o valor total ou também podem optar por dividir em dez parcelas mensais. 

Para compensar o parcelamento, se considerarmos as aplicações conservadoras, o rendimento mensal médio no período deve ser no mínimo de 1,35%, gerando uma rentabilidade anual líquida de 17,46%. Se considerar o rendimento bruto, o mínimo passaria para 1,72% ao mês ou 22,71% ao ano.

Porém, estes valores estão distantes da realidade atual das aplicações no Brasil. A poupança, por exemplo, só rende 0,5% ao mês mais TR, e por isso não seria uma alternativa de investimento para justificar o parcelamento. Dessa forma, no estado do Rio de Janeiro, o pagamento à vista vale mais a pena.

Em São Paulo, cujo desconto é de 4% para quitar o IPTU em apenas uma parcela, esta forma de pagamento também é compensadora na maioria dos casos, considerando o rendimento da maior parte das aplicações financeiras de perfil conservador, mas ainda existem poucas aplicações para compensar o parcelamento. Isso por que o rendimento mensal médio ao longo destes dez meses deveria ser no mínimo de 0,75%, o que corresponde a uma rentabilidade anual líquida de 14,71%. 

Para um fundo de investimento ou um CDB pagar esse rendimento líquido para o consumidor, é preciso que o rendimento bruto dessa aplicação seja no mínimo de 0,97% ao mês ou 12,28% ao ano. Apesar de não ser a realidade desses investimentos, ainda é possível encontrar algumas aplicações atrativas para obter esse rendimento.

Em relação ao IPVA, os descontos previstos para pagamento à vista no Rio de Janeiro e em São Paulo são bem diferentes, 10% e 3%, respectivamente. Entretanto, apesar da diferença, nos dois locais ainda compensa optar pelo desconto. Porém, se o valor fosse investido precisaria ter um rendimento médio mensal líquido de 5,46% ou rentabilidade anual líquida de 89,26%, no caso do Rio de Janeiro, e de 1,55% ao mês ou 20,27% ao ano em São Paulo.

Por fim, a PROTESTE aconselha o pagamento destes tributos à vista para o contribuinte se beneficiar dos descontos oferecidos, caso disponha dos valores. Porém, caso tenha condições apenas de quitar um dos tributos à vista, neste caso opte por pagar o IPVA pois o desconto oferecido é mais compensador.


Imprimir Enviar a um amigo