Notícia

Micropenhor ou penhor tradicional? Saiba qual é o seu.

05 setembro 2012

05 setembro 2012

Para penhoras suas joias ou algum objeto de valor, é preciso ter conta em algum banco.

 

Existem duas categorias de penhor: micropenhor e penhor tradicional. O micropenhor é para quem não tem saldo médio em conta de R$ 3 mil, na Caixa Econômica Federal ou em qualquer outro banco.  Nesse caso, o valor do empréstimo é limitado a R$ 1,5 mil. O penhor tradicional é voltado pra quem mantem saldo superior ou igual a R$ 3 mil em conta corrente. O valor do empréstimo concedido sobe e pode variar entre R$ 300 e R$ 100 mil.

O valor que disponibilizam no momento da contratação do crédito pode chegar a 130% do valor da peça e é concedido apenas para quem opera com o serviço a mais de um ano e estão adimplentes. Para os demais, é limitado a 85% do valor do bem.

No momento da avaliação, é levada em consideração a cotação do ouro no mercado, o peso do metal precioso e outras características valorizadas em leilões, como raridade e idade.

Cadastro evita bens roubados

Para a aprovação do empréstimo é preciso apresentar o objeto de valor que será penhorado. Como não há a exigência de documento que confirme a propriedade do bem, é exigido o cadastramento do cliente, para impedir a penhora de bens roubados. Também é necessário apresentar, documento de identidade, CPF em situação regular na Receita Federal e comprovante de residência.

Vale lembrar também que os encargos são pagos no ato da concessão do empréstimo o qual pode ser quitado em 30, 60, 90 e 180 dias. Ainda é possível renovar a operação diversas vezes desde que sejam pagos os encargos devidos. Vale lembrar que a renovação só é permitida para joias e prataria. Se no prazo final para quitar o empréstimo você não tiver dinheiro para pagar a dívida, tente uma renovação mediante o pagamento de juros e tarifas. O importante é sempre tentar renegociar a dívida, antes de o prazo vencer, para evitar que seu bem vá a leilão.


Imprimir Enviar a um amigo