Notícia

Natal: não se endivide com as compras


Se você não quer iniciar o novo ano com dívidas, deve planejar bem seus gastos para as festas de dezembro, sobretudo com os presentes de Natal. E, por mais difícil que seja, o ideal ainda é comprar à vista. Aproveite o 13º para negociar descontos, evitando as compras parceladas, supostamente sem juros. Estes são embutidos no preço à vista.


Se optar por comprar a prazo, informe-se sobre todas as condições da operação, como Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e Custo Efetivo Total (CET). Este deve incluir, além dos juros, os demais encargos cobrados.


Ao emitir cheques pré-datados, anote os valores, os produtos comprados e as datas em que serão descontados. O cheque é um pagamento à vista e, por isso, quando for apresentado ao banco, será descontado. Se ele for compensado antes da data combinada e você tiver prejuízos com isso, pode entrar com uma ação judicial contra a loja pedindo reparação pelos danos causados.


Na hora de pagar com o cartão de débito, confira se o valor da compra está correto antes de digitar a senha, afinal, com o tumulto das lojas, o vendedor pode acabar registrando um valor diferente.


As mesmas dicas de segurança valem para o cartão de crédito. E na hora de acertar o valor, não aceite acréscimos. Um produto deve ter o mesmo valor, não importando se vai ser pago em cartão, dinheiro ou cheque. Caso a loja imponha um preço maior, denuncie a um órgão de defesa do consumidor.


E se for parcelar no cartão de crédito, faça isso apenas se não houver a cobrança de juros, que serão acrescidos em sua fatura mensal. Evite pagar o valor mínimo da fatura para não cair no crédito rotativo, com elevadas taxas de juros.



Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e ganhe acesso ao conteúdo exclusivo que reservamos para você! 

Se você é associado PROTESTE e precisa de ajuda com nosso conteúdo ligue para (21) 3906-3980.


Imprimir Enviar a um amigo