Notícia

Com recessão, 2015 será ano de desafios

18 dezembro 2014
Desafios

18 dezembro 2014

Estagnação e aumento de energia devem dificultar vida do cidadão. Veja nossas previsões para os grandes desafios e as principais perdas e ganhos de 2014.

Prepare-se, pois o novo ano começa com a energia mais cara. Além do reajuste, que pode chegar a 30%, haverá um repasse mensal quando as termelétricas forem acionadas.

A partir de março os serviços de telecomunicações (telefonia, Internet e TV) terão um espaço para o consumidor e um comparador de ofertas em seus sites.

Será possível exigir, desde 10 de novembro, o histórico de demandas de três anos, com dados como protocolo, data e hora de atendimento. Os últimos seis meses ficarão disponíveis no site da prestadora.

São bons avanços para um 2014 com mais retrocessos do que progressos ao consumidor. Estes incluem o recorde de recalls de carros e o bloqueio à Internet no celular ao fim da franquia de dados.


Empresas de telefonia violaram CDC ao cobrar por Internet


As operadoras cobraram a mais para quem quisesse manter as condições de navegação, uma violação ao Código de Consumidor (CDC). Já os avanços incluíram o adiamento, por um ano, das bandeiras tarifárias na conta de luz e a aprovação do marco civil da Internet.


Principais avanços de 2014

  • Entrada em vigor dos novos direitos nas Teles, como a possibilidade de cancelar automaticamente contratos de telefonia e de acesso à Internet.
  • Novo Rol da ANS incorporou mais 87 procedimentos obrigatórios, incluindo tratamentos contra o câncer.
  • Adiamento por um ano da vigência das ‘bandeirinhas’ tarifárias na conta de luz.
  • Aprovação do marco civil da Internet.


Principais retrocessos de 2014

  • Recorde nos recalls de automóveis (acima de um milhão).
  • Taxas de juros exorbitantes de cartões de crédito e cheque especial.
  • Prejuízos por corte de acesso à Internet no celular.
  • Serviços de telecomunicações “campeões” de reclamações.


2015 será ano de desafios para consumidor

Diante do desfavorável cenário econômico, o grande desafio para 2015, para as entidades de defesa do consumidor, será  como ajudar o consumidor. Numa economia fraca é ele, à mercê dos serviços, o primeiro a perder, já que a qualidade dos produtos baixa e os preços são elevados para recuperar as perdas.


Imprimir Enviar a um amigo