Notícia

Atualizações prejudicam o consumidor

21 fevereiro 2014

21 fevereiro 2014

Na prática, você poderá receber valor menor do que o simulado ao contratar o plano de previdência.

Para definir o valor dos pagamentos que serão feitos ao consumidor, a seguradora usa a tábua biométrica, que mede a duração da vida e a probabilidade de entrada em invalidez. Não existe uma única tábua biométrica, e cada seguradora pode utilizar uma.

As tábuas podem mudar ao longo do período (principalmente quando ocorre alguma mudança em relação à expectativa de vida da população). Ou seja, a seguradora pode adotar uma tábua para calcular os benefícios e depois mudar para outra que reflita de forma atualizada a mortalidade da população.

Embora essa atualização seja necessária para a sobrevivência das seguradoras, já que, com o envelhecimento da população, elas pagam os benefícios por mais tempo, ela prejudica o consumidor, porque os valores diminuem.

Assim, ao contratar um plano e simular o que será recebido, é provável que o valor seja diferente do que você irá receber, já que as tábuas biométricas mudam frequentemente. Além disso, a evolução da taxa de juros na economia (que interfere na rentabilidade dos fundos de previdência) e a inflação também influenciam.


Imprimir Enviar a um amigo