Notícia

Evite problemas durante a greve dos correios

25 setembro 2015

25 setembro 2015

Sabe o que fazer se a conta não chegar? Leia a notícia da PROTESTE e veja como não se prejudicar com contas a pagar durante a greve dos correios. Acesse!


A greve dos funcionários dos Correios, que está em andamento em 15 estados e no Distrito Federal, pode atrasar a entrega das contas a pagar. A PROTESTE alerta que, para evitar a cobrança de encargos moratórios (juros e multas) ou a suspensão na prestação de serviços, é preciso ficar atentos com a data de pagamento. Se a data estiver próxima e o boleto não chegar a tempo, você deve entrar em contato com a empresa credora.


Empresa deve disponibilizar outra forma de pagamento


Deve ser negociado outro meio para fazer o pagamento (por exemplo, emissão de segunda via internet, depósito em conta ou envio da fatura por fax ou e-mail). Se não disponibilizar essas formas alternativas para pagar, a empresa deve prorrogar o vencimento da conta


A PROTESTE lembra que o não recebimento da conta na data não isenta da cobrança de multa se o pagamento for feito fora do prazo, já que a greve não é culpa da empresa. Por isso, não se deve esperar o vencimento do boleto e, posteriormente, justificar a falta de pagamento com base na greve. 


Somente se a empresa credora não disponibilizar outra forma de pagamento e o consumidor receber a conta com a cobrança de encargos, os valores poderão ser questionados.


Pode haver ressarcimento por serviços não prestados


Com relação aos serviços contratados diretamente nos Correios (por exemplo, envio de Sedex), se houver atraso na entrega, você tem o direito de pleitear ressarcimento por eventuais prejuízos sofridos. É recomendável verificar o andamento da entrega pelo próprio site dos Correios.


Caso seja prejudicado, entre em contato com a PROTESTE para obter assistência e orientações sobre como proceder, pelos telefones: (11) 4003-3907 (Para o Estado de São Paulo), (21) 3906-3900 (Demais Estados) ou 0800-201-3900 (Para telefones fixos de São Paulo). Pode-se também recorrer ao Juizado Especial Cível para pedir indenização, para ressarcimento de prejuízo moral ou financeiro.


Quem precisa enviar encomendas ou correspondência com urgência nesse período de paralisação dos Correios deve procurar por serviços alternativos de entregas. Se não for possível a substituição por fax ou e-mail,  você deve procurar outras empresas de entrega, enquanto os funcionários da Empresa de Correios e Telégrafos se mantiverem em greve.


Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo