Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Proteste exige aquecedores mais seguros
Nosso teste revelou que quatro, dos dez produtos testados, não são considerados seguros para os consumidores. Por isso, a PROTESTE denunciou os fabricantes ao Ministério Público local, com o pedido de retirada preventiva dos aparelhos do mercado.
 
07 maio 2014 |

Dos dez aquecedores testados, quatro são perigosos: Orbis 315 HFBN GN e Rinnai REU 157 BR GN, por acumularem mais monóxido de carbono do que o permitido no ambiente ou em suas chaminés e o Rinnai REU 157 BR GLP, por sua alta temperatura externa poder causar queimaduras. O Lorenzetti LZ1600N GN, foi reprovado pela instabilidade de sua chama, que pode apagar no caso de uma rajada de vento.

Não se pode aceitar que aparelhos como esses continuem sendo vendidos sem qualquer medida corretiva. Como eles são etiquetados, encaminhamos os resultados ao Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e ao Instituto de Pesos e Medidas (Ipem), requerendo a adoção de providências urgentes junto aos fabricantes.

E como os problemas encontrados colocam em risco a saúde e segurança do consumidor, denunciamos os fabricantes também ao Ministério Público local, com o pedido de retirada preventiva dos aparelhos do mercado.

Leia também

dúvidas
alimentação
azeite-proibido
conta

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.