Como fizemos o teste

Entenda a metodologia

21 maio 2018

21 maio 2018

Em nossa avaliação sobre os fogões, foram levados em consideração os seguintes critérios: 

Combustão: foi averiguado se existe vazamento de monóxido de carbono acima do permitido pela norma utilizando os fogões em condições críticas, ou seja, máxima pressão e máxima vazão de gás.

Segurança mecânica: avaliamos a estanqueidade do circuito de gás, risco de tombamento do produto, as conexões, os registros, os manípulos, os injetores de gás, dispositivo supervisor de chama, sistema de ignição, a estabilidade dos queimadores, propagação e estabilidade da chama. 

Facilidade de uso: avaliamos os pontos principais que facilitam a vida do usuário, como manuseio, visibilidade do forno, limpeza interna, retirada do alimento do forno, retirada e reposição das grades do forno e a operação dos botões. 

Segurança térmica: acendemos todos os queimadores e o forno a 200º C e, após uma hora, medimos a temperatura da tampa de vidro e das superfícies de metal (frontal e laterais). 

Manual de instrução: foram avaliadas informações sobre segurança, limpeza, uso, solução de problemas, além da qualidade das figuras. 

Teste prático: verificamos como está sendo feita a distribuição de calor dentro do forno em situações cotidianas como, por exemplo, a preparação de um bolo. 

Desempenho energético: avaliamos o rendimento dos queimadores e o consumo de gás do forno para verificar se os produtos possuem a classificação A como consta em sua etiqueta. 

Estabilidade e precisão de temperatura: neste ensaio verificamos a variação da temperatura que está indicada pelo manípulo do forno e o tempo gasto para estabilização da temperatura.


Imprimir Enviar a um amigo