Notícia

Smartphone ou câmera semiprofissional: qual possui o melhor flash?

21 setembro 2015

21 setembro 2015

Confira o resultado do teste de uso do flash com câmera semi-profissional e com smartphone e descubra qual oferece o melhor resultado.

Com a ajuda da PROTESTE você pode decidir se realmente vale a pena investir em um equipamento fotográfico avaliando os resultados do teste de flash de smartphone e de câmera semiprofissionais. 


Compare abaixo as fotos tiradas com uma câmera semiprofissional (à esquerda ) e as feitas com um smartphone top de linha (à direita).


Ambiente claro: a luz natural é o melhor ingrediente para uma boa foto. Dificilmente, uma câmera fará uma imagem ruim de um objeto parado em um ambiente claro, como é o caso das fotos ao lado. 


Por isso, a diferença aqui está nos detalhes. A foto da esquerda foi tirada com uma semiprofissional, que desfocou mais o fundo (menor profundidade de campo). A da direita foi feita com um smartphone, que também conseguiu uma ótima qualidade. 


O desfocado no fundo é proporcionado pela abertura do diafragma da lente da câmera, e não pela câmera em si. Por isso, você pode ter uma semiprofissional com um tipo de lente que não consegue esse efeito.


Uso do flash: aqui está um dos pontos fracos das câmeras dos smartphones. Como o flash é fixo e com alcance limitado (em geral, a um metro do objeto fotografado), isso produz fotos em que o objeto (ou a pessoa) em primeiro plano fique mais claro do que o que está um pouco atrás, como na foto da direita. 


Algumas semiprofissionais permitem direcionar o flash para outros pontos, como o teto, os lados ou até mesmo para trás em ambientes internos, tirando a luz diretamente do que será fotografado, deixando a luminosidade da imagem mais homogênea (foto da esquerda).


Zoom: esse também não é o forte dos smartphones porque o zoom deles é digital e não óptico, como nas semiprofissionais. Vale dizer que o zoom óptico é feito pela lente e não pela câmera. Nas imagens ao lado, demos um zoom de quatro vezes, sendo que na foto da esquerda temos cores mais equilibradas e mais próximas do real. Na foto da direita, feita com um smartphone, vemos no detalhe que ela tem problemas, comuns ao zoom digital.


Ambiente escuro: as duas fotos estão muito boas. A da esquerda está um pouco mais iluminada e foi feita com uma semiprofissional, mas nada que não possa ser facilmente ajustado pelo software do smartphone. A questão aqui é que, quando aproximamos algum detalhe da imagem, vemos muitos quadradinhos (os pixels) em vez de uma imagem limpa. Mas convenhamos: vale a pena comprar uma câmera semiprofissional só por isso? Em quais situações você precisará ampliar a foto a ponto de ver os pixels?


Fotos noturnas e com zoom deixam à desejar

Em poucos pontos as câmeras dos celulares não se saem bem: fotos com zoom e noturnas. O primeiro ocorre porque nos smartphones só há zoom digital. Assim, a aproximação não é feita pelo jogo de lentes, como nas semiprofissionais, mas por interpolação. Ou seja, o software do smartphone adiciona mais pixels à imagem, gerando conflito. 


O segundo ocorre porque a lente presente nos smartphones possui um sensor – ou obturador, para os amantes da fotografia – muito pequeno. Isso não permite que entre muita luz,limitando o uso em locais com pouca luminosidade.


Desse modo, é fácil concluir que se você prefere praticidade, pode optar sem medo pelo investimento em um smartphone mais poderoso. Os intermediários e mais simples não possuem câmeras tão potentes quanto os top de linha. Porém, se quer fotos com cores mais próximas do real, sem perda de qualidade, e se não se importa em carregar peso, uma câmera semiprofissional ou profissional é o mais indicado.


E, ainda, descubra qual aparelho possui a melhor câmera fotográfica!


Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e ganhe acesso ao conteúdo exclusivo que reservamos para você! 

Se você é associado PROTESTE e precisa de ajuda com nosso conteúdo ligue para (21) 3906-3980.


Imprimir Enviar a um amigo