Notícia

Atividades aquáticas: curta com segurança

09 dezembro 2015

09 dezembro 2015

Acidentes no mar, em piscinas, rios e lagoas são frequentes, mas podem ser evitados. Conheça os riscos das práticas e veja o que fazer na hora do perigo.

O calor do verão traz a saudável e refrescante prática de atividades aquáticas. Mas é preciso tomar cuidado para se divertir com segurança e saber os riscos, a fim de evitar acidentes no mar, em piscinas, rios ou lagoas. 


A combinação entre falta de conhecimento em natação e ingestão de álcool é o principal motivo para afogamentos. Por isso, nunca nade alcoolizado. Isso vale também para jet skis. Pilotos devem usar colete salva-vidas e, ao se dirigir à praia ou se afastar dela, navegar na perpendicular e em menor velocidade. 

Não mergulhe sozinho; em águas rasas, cheque a profundidade

Caso goste de mergulho, não faça isso sozinho e, se tiver problemas, respire com calma e constantemente. Para evitar acidentes em águas rasas, verifique a profundidade e, na primeira vez, pule em pé. Se observar um acidente, só faça os primeiros socorros caso entenda do assunto. Se não, espere a ambulância. 


Em caso de afogamento, fique calmo; nervosismo piora situação 

Em passeios, não pule do barco com o motor ligado ou nade perto das hélices. Já em situações de afogamento – de outra pessoa ou próprio – fique calmo, pois o nervosismo só piora o quadro, nos dois casos. Caso a vítima seja você, boie e grite por socorro. 


Confira outras dicas para os seguintes cenários:  


Lagoas 

  • Evite locais longe da margem, devido a riscos de câimbras.
  • Não nade em águas turvas e lodosas, pois troncos e galhos podem prendê-lo.
  • Pedras próximas à água podem estar escorregadias pelo limo. 

Piscina

  • Sempre vigie as crianças. Se você se afastar da piscina, leve-as junto.
  • Isole a piscina com grades.
  • Evite brinquedos que atraiam os pequenos para a borda e não deixe que corram ao redor.
  • Boia de braço não é sinal de segurança e nem dispensa a supervisão. 

Praia

  • Atenção sempre, pois o processo de afogamento em crianças é acelerado, devido à menor massa corporal.
  • Pergunte a um guarda-vidas o melhor local e nade perto dele.
  • Evite alimentos pesados antes de nadar.
  • Fique longe de pedras e costeiras, que abrigam valas e correntes perigosas.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo