Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Camisinha distribuída pelo governo: será que ela protege mesmo?
Para verificar se a Vista-se, disponibilizada gratuitamente pelo Ministério da Saúde, garante sua segurança, levamos o preservativo ao laboratório. Confira, a seguir, o resultado.   
08 fevereiro 2018 |
camisinha-vista-se

O carnaval bate à porta. E, com ele, campanhas que incentivam o sexo seguro são intensificadas – sobretudo a realizada pelo Ministério da Saúde. A distribuição de camisinhas é uma das ações colocadas em prática, em várias cidades, durante a festa. Mas aí surge a dúvida: será que a Vista-se, disponibilizada gratuitamente pelo governo, é eficaz?

Após levar o preservativo ao laboratório, descobrimos que você pode ficar sossegado: a Vista-se é segura sim. Além disso, se engana quem acha que ela deixa a desejar quando comparada às camisinhas vendidas em farmácias. 

Para começar, avaliamos a integridade da embalagem que envolve a Vista-se e não encontramos problemas. Ou seja, ela está devidamente protegida contra calor, umidade excessiva e contaminações – tudo aquilo o que poderia prejudicar a eficácia do produto. 

                      A PROTESTE avalia diversos produtos e mostra sempre a melhor opção para você! Associe-se já!

A largura do preservativo é adequada não apenas para proporcionar conforto, mas para evitar que o produto deslize. A Vista-se também está em conformidade quando o assunto é comprimento. Ela respeita o tamanho mínimo de 16 centímetros (desconsiderando-se o reservatório) estipulado pela legislação. A espessura foi outro ponto positivo: a camisinha é fina o suficiente para não comprometer o prazer durante a relação sexual.

E a informação mais esperada: não precisa se preocupar, pois a chance de a Vista-se estourar é mínima. Após encher o produto com ar, como se fosse um balão, constatamos que sua capacidade volumétrica e de pressão de estouro respeita os padrões estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o que diminui, e muito, a chance de ele se romper durante o uso. Conferimos ainda se a camisinha trazia orifícios. E a boa notícia é que não encontramos um buraquinho sequer.

Vale destacar que, além da Vista-se, outras sete marcas de camisinhas passaram por nosso crivo. Para ter acesso ao resultado completo do teste, clique aqui.  

campanha-ministerio-saude
Crédito: Rodrigo Nunes/MS


Campanha durante a folia

Prevenir é Viver o Carnaval #VamosCombinar. Esse é o tema da Campanha de Prevenção do Carnaval 2018, lançada na última terça-feira, pelo ministro da saúde, Ricardo Barros. Segundo informações do Ministério da Saúde, foram distribuídos mais 100 milhões de preservativos para todo o país, entre masculinos e femininos.

Para garantir o seu, basta ir até um posto de saúde. Outra opção é ligar para o Disque Saúde, no número 136, para buscar mais informações. Saiba ainda que em todo o país homem e mulher camisinha vão promover o uso de preservativos. 

De acordo com dados do Ministério da Saúde, o uso da camisinha entre jovens entre 15 e 24 anos vem diminuindo. Essa, entretanto, é uma realidade que precisa mudar. Então, nada de entrar nessa! Tenha em mente: esse é o método mais eficaz contra doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), entre elas a AIDS. Além disso, a camisinha é capaz de evitar uma gravidez indesejada. Trate de se proteger. Quem se ama, se cuida! 


Gostou deste conteúdo?
Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou (21) 3906-3900 (de celular).

Leia também

água de coco
alimentos-funcionais
alimenta-4
abertura-BCAA

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.