Notícia

Comida de praia: como fizemos o teste

10 fevereiro 2017
laboratorio

10 fevereiro 2017

Amostras foram coletadas em praias de cinco estados brasileiros e enviadas ao laboratório. 

Entre outubro e novembro de 2016, coletamos produtos comercializados por vendedores ambulantes em praias de cinco estados brasileiros. Logo após a compra, os alimentos eram depositados em sacos de plástico estéreis (próprios para a coleta de amostras) e as bebidas acondicionadas em frascos também estéreis. O próximo passo foi armazenar os produtos em caixa térmica, com gelo, e, posteriormente, levá-lo ao laboratório.   

Para cada uma das 24 amostras colocadas na berlinda, analisamos se a quantidade de bactérias nelas presentes estava de acordo com o previsto na legislação. Verificamos ainda se o produto trazia outros micro-organismos, como mesófilos aeróbios e bolores e leveduras. A existência deles indica que cuidados com a higiene foram deixados de lado durante o preparo.

 

Este conteúdo foi produzido graças ao apoio de mais de 250 mil associados em todo o Brasil. Junte-se a esta luta! Associe-se agora a PROTESTE!

As praias visitadas foram as seguintes: Praia da Boa Viagem (Recife/PE), Praia da Costa (Vila Velha/ES), Praias da Guilhermina, Boqueirão e Tupi (Praia Grande/SP), Praia de Copacabana (Rio de Janeiro/RJ) e Praia do Flamengo (Salvador/BA).

Clique aqui para ver os resultados do nosso teste e confira, abaixo, os produtos avaliados:

Empada de frango
Espetinho de camarão
Queijo coalho
Sanduíche natural
Mate
Salada de frutas 
Suco de fruta 

 



Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE!


Imprimir Enviar a um amigo