Veja todas as publicações da PROTESTE em seu celular ou tablet!

Dicas para cair na folia ou descansar no Carnaval sem contratempos
Para que o feriadão de Carnaval seja repleto de diversão, descanso ou folia, saiba como cuidar da saúde, alimentação, viagem e os principais cuidados para quem vai sair em blocos.

23 fevereiro 2017 |
carnaval
Para que o feriadão de Carnaval seja repleto de diversão, descanso ou folia, a PROTESTE alerta que é importante prestar atenção aos detalhes e tomar algumas precauções que evitem aborrecimentos, perdas e até problemas mais graves, como intoxicações alimentares e doenças sexualmente transmissíveis.

Enquanto curte o Carnaval, o folião não pode descuidar da alimentação. É preciso atenção com as condições dos alimentos vendidos para evitar doenças, como infecção intestinal e diarréia. A qualidade do que será consumido precisa ser averiguada seja nos restaurantes, barracas de praia ou ambulantes, caso contrário, a ingestão pode acarretar doenças.

Alimentação – Nem sempre o restaurante mais caro, que recebe turistas, tem as melhores práticas de higiene. É muito comum a reutilização de óleo em frituras e a economia de energia elétrica em refrigeradores. Por isso, é melhor evitar frituras e alimentos perecíveis como maioneses, leite e derivados, e embutidos tais como salsicha e presunto. Também tenha cuidado com pratos típicos que você ainda não provou – por exemplo, um vatapá com muita pimenta.

Evite lanches vendidos por ambulantes, em que a higiene e a conservação dos alimentos são duvidosas. Evite comer alimentos expostos ao sol, poeira e insetos. E, em qualquer lugar, prefira água mineral com ou sem gás, para evitar indisposições estomacais. Por último, moderação no consumo de bebidas alcoólicas. E, se for dirigir, esqueça-as totalmente.

Saúde – Mesmo em dias nublados é imprescindível o uso de protetores solares para poupar a pele dos efeitos nocivos do sol, como envelhecimento precoce e a possibilidade de desenvolver câncer de pele. Os cuidados com a pele devem ser redobrados no verão, como é o caso do Carnaval.

Preservativos são fundamentais, pois uma relação sexual eventual sem proteção pode ser o suficiente para contrair uma doença sexualmente transmissível, inclusive a Aids. Se você necessitar de medicamentos, vá ao médico antes da viagem e providencie a compra dos remédios suficientes para o período em que estará fora de sua cidade.

Dicas de última hora para quem viajar de avião

1. Antes de viajar fazer uma lista completa do que está levando na mala.
2. Se tiver tempo antes do embarque, preencha a declaração dos bens, fornecida no ato do check-in.
3. Confira o destino com o cartão de embarque e os tíquetes das bagagens.
4. Use os lacres fornecidos pela companhia aérea.
5. Crie uma identificação própria para personalizar as malas, contribuindo para o reconhecimento da bagagem.
6. Havendo conexão, verifique com a companhia aérea a empresa que fará o transporte. Se houver novo check-in, refazer os procedimentos de declaração dos pertences.
7. Liste as compras feitas durante a viagem; junte as notas fiscais e leve na bagagem de mão.

Carro

Se viajar de carro, atenção com detalhes como revisão mecânica do veículo. A bagagem pode ameaçar a segurança dos passageiros que viajam no banco traseiro, conforme testes realizados pela PROTESTE. Como só há o encosto do banco para separar a bagagem dos passageiros que sentam no banco de trás, em caso de colisão frontal,as malas podem provocar ferimentos. Por isso, mesmo que não haja passageiros nos bancos traseiros, aperte os cintos de segurança. Eles podem ajudar o encosto do banco de trás a resistir à pressão das bagagens. Se transportar malas pesadas, evite levar um passageiro ou uma cadeira de criança na posição central. Coloque as malas mais pesadas na parte de baixo do porta-malas. Caso utilize o bagageiro na capota (rack), verifique se ele e as malas estão bem fixados.

Cuidados para quem vai sair em blocos

Para o folião que está se preparando para curtir o carnaval em um camarote ou comprou um abadá que inclua comida ou bebida, ou as duas coisas, deve ficar atento para não ter prejuízo se a oferta anunciada não for cumprida. Essa prestação de serviço está amparada pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC), o que dá o direito de reclamar se houver insatisfação com o resultado do evento.

Em caso de descumprimento de oferta, o CDC estabelece que o consumidor pode exigir o cumprimento forçado da obrigação, pedir a troca por outro produto ou rescindir o contrato, com direito à devolução total ou de parte do dinheiro. É importante reclamar quando o serviço não correspondeu à oferta.

Para evitar problemas o ideal, é antes de comprar o convite, pesquisar os preços, obter referência com amigos e consultar os órgãos de defesa do consumidor para saber há registro de reclamação contra a empresa que está realizando o evento. Se não houver variação entre o preço à vista e a prazo, é melhor pagar o serviço parcelado para facilitar o cancelamento do pagamento em caso de problemas.

O consumidor deve guardar todos os anúncios e materiais de divulgação que comprovam o que está sendo oferecido na festa para que possa reclamar se não for cumprido o que foi prometido. Além disso, a pessoa deve fazer ocorrência policial no local do evento, em caso de problemas. Se o consumidor estiver fora da cidade onde reside, a mesma providência deve ser tomada para que, após seu retorno ao local de origem, possa procurar os órgãos de defesa do consumidor ou o Juizado Especial Cível. Se o cliente não tomou essa providência na hora da festa, uma alternativa é buscar testemunhas para comprovar sua alegação, no prazo de 30 dias de ocorrência do fato.

Gostou deste conteúdo? CADASTRE-SE agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou (21) 3906-3900 (de celular).

Leia também

economizar
conta
azeite-proibido
dúvidas

Deixe seu comentário()

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.