Notícia

Dicas para pais e mães de primeira viagem

26 maio 2015

26 maio 2015

A chegada do primeiro filho é uma etapa muito importante e repleta de desafios. Por isso, a PROTESTE preparou algumas dicas para ajudar os pais e mães de primeira viagem a cuidar do bebê. Confira abaixo:

A Sociedade Brasileira de Pediatria publicou um guia sobre cuidados do Bebê, onde ensina como reconhecer e lidar com o choro, regular o uso da chupeta, aliviar as cólicas, entre muitas outras coisas. Confira algumas delas:

Peso ideal - Em 2007, os parâmetros usados para definir o peso ideal das crianças ficaram mais rígidos. Aos 2 anos, por exemplo, a média desejada é de 11,6 Kg. Antes era 12,7kg. Essa alteração tem o objetivo de evitar a obesidade infantil. De cada 100 crianças ou jovens acima do peso, 75 serão adultos gordos ou obesos.

Cólica - Não existe uma causa exata para a cólica. As cólicas são atribuídas à associação de alguns fatores, entre eles a imaturidade dos sistemas gastrintestinal e nervoso central, que, entre outras funções, controla as contrações do intestino. 


Como o processo de formação e funcionamento desses mecanismos ainda não está completo, ocorrem movimentos intestinais descoordenados que acabam provocando as dores. Passados três meses, esses sistemas adquirem maturidade e as cólicas deixam de fazer parte da rotina da família.


Entre os recursos mais indicados estão as massagens abdominais, compressas de água quente e flexionar e estender as perninhas do bebê.

Posição para dormir - A indicação era que o bebê dormisse preferencialmente de lado. Recentemente a Academia Americana de Pediatria determinou que o ideal é colocar o bebê para dormir de barriga para cima. 


Os estudos mostram que o risco de um bebê ser vítima de morte súbita é 9 vezes maior se ele está deitado de bruços. 


Se a criança é colocada de lado existe o risco dela sufocar em caso de vômito. De barriga para cima ela consegue tossir, chamando a atenção dos pais.

Choro - nunca deve ser desconsiderado. Antes de chegarem à conclusão de que o berreiro é capricho do bebê, os pais precisam se certificar se ele, para além de fome, frio ou calor, dor ou fralda suja, necessita de acolhimento. Em cerca de 90% dos casos o choro é causado por algum desconforto real. O choro por birra é mais alto e vem acompanhado de gritos.


Escolha a melhor fralda para proteger seu bebê e seu bolso! Inscreva-se gratuitamente e economize até R$ 1.410 no primeiro ano de vida do seu bebê.


Imprimir Enviar a um amigo