Notícia

Inédito: PROTESTE desvenda a bola da Copa

20 dezembro 2013

20 dezembro 2013

A bola Brazuca, que será usada no mundial do Brasil, é bem diferente da Jabulani, e não atingirá a mesma velocidade que a bola usada na Copa de 2010.

Uma pergunta que inquieta os amantes de futebol ao redor do mundo desde o lançamento da Bola Oficial da Copa do Mundo do Brasil, a Brazuca. Seria ela ainda pior do que a Jabulani, a bola da Copa do Mundo da África do Sul, realizada em 2010?

Brazuca
Material de divulgação apresentado no lançamento da Bola Brazuca, em dezembro de 2013

A resposta, felizmente, é não. Desta vez, a Adidas cercou-se de cuidados para evitar a chuva de críticas que sofreu com a Jabulani. Considerada pior do que a Fevernova e a Teamgeist (das Copas do Mundo de 2002 e de 2006, respectivamente), ela recebeu duras críticas de goleiros e atacantes das seleções antes e após o torneio de 2010, que terminou com a Espanha se sagrando campeã.

O teste do comportamento aerodinâmico da bola simula condições de jogo reais. É possível observar a influência na trajetória, como a resistência do ar e a potência do chute, bem como a própria ação da gravidade. Por conta disso, contatamos Takeshi Asai, especialista em testes em bola da Universidade de Tsukuba do Japão, que realizou um teste comparativo sobre o comportamento aerodinâmico da Brazuca versus a Jabulani. 

Os resultados, por sua vez, foram interpretados em conjunto com o pesquisador Gilder Nader, do Institutos de Pesquisas Tecnológicas (IPT), em São Paulo. Veja as conclusões neste vídeo exclusivos que preparamos para você:

Confira o teste com a bola da Copa.

Antes de chegar aos pés dos jogadores – e dos consumidores –, a Brazuca recebeu duas chancelas da FIFA: os selos FIFA Inspected e FIFA Approved. Para receber o selo FIFA Inspected, a Brazuca passou por seis testes que verificaram o peso, a circunferência, redondeza, altura de repique, absorção de água e perda de pressão.

Para ganhar o selo FIFA Approved, a Brazuca passou nesses seis testes sob condições ainda mais rigorosas, sendo que a constância do formato e do tamanho da bola foram verificados em um sétimo e último teste. A bola foi atirada contra uma placa de metal 2.000 vezes a 50 km por hora. A bola passa no teste somente se todas as costuras e as válvulas de ar permanecerem perfeitas e se qualquer perda de pressão e mudanças na circunferência e redondeza forem insignificantes.

Selos FIFA
Selos de aprovação da FIFA
Mas o que o consumidor não sabe é que um dos testes mais importantes – senão o mais importante –, não é contemplado pela FIFA: a avaliação do comportamento aerodinâmico. E é justamente esta parte que o nosso estudo desvenda para o consumidor.

Imprimir Enviar a um amigo