Notícia

Por que meu bebê chora tanto?

10 julho 2015

10 julho 2015

Veja as razões mais comuns pelas quais seu filho chora e descubra como acalmar o bebê em dicas simples.

Quanto mais novinha a criança, mais frequentes são os chorinhos. E isso faz todo o sentido, porque é a única forma que seu pequeno tem de se comunicar com você quando alguma coisa o incomoda. Veja quais são os motivos mais comuns que provocam a elevada reação sonora de seu filho:

  • Fome – boa parte dos incômodos tem origem em estômago vazio. Dê o peito ou providencie uma mamadeira.
  • Gases – seu filhote ainda não domina completamente a arte de soltar pum. Experimente deitar seu bebê e mexer suas perninhas com cuidado, como se ele estivesse andando de bicicleta.
  • Arroto – um bom arroto já é suficiente para diminuir o incômodo provocado pela sucção de ar. Veja aqui três técnicas para arrotar.
  • Fralda suja – só de pensar em estar no lugar do bebê já explica esta razão. Providenciar a troca da fralda suja com urina ou cocô para acalmar seu pimpolho.
  • Solidão – nem sempre o neném gosta de ficar sozinho. Um colinho ou simplesmente ficar no mesmo cômodo vai deixar seu filho mais calmo.
  • Excesso de estímulos – o bebê passou nove meses em um lugar escuro, quentinho e protegido. O manancial de informações do mundo aqui fora provoca um estranhamento. Leve a criança para um lugar mais sossegado para que ela possa se desestressar.
  • Desconforto físico – reparou se o bebê está com frio (pés ou mãos muito geladas) ou com calor (suor)? Será que tem alguma roupinha apertada demais ou com algo espetando? Ele pode estar de mau jeito? Cheque por todo tipo de incômodo.
  • Febre – tenha à mão um termômetro e, se a temperatura do pequerrucho for superior a 37 graus, acione o pediatra.

No entanto, às vezes o bebê pode chorar sem motivo aparente. Neste caso, você ainda pode apelar para algumas estratégias mais amplas:

  • Balance a criança de levinho – seja em um balancinho, seja no colo, boa parte dos bebês gosta do movimento por lembrá-los dos dias em que estavam no útero. Cuidado para não exagerar nos movimentos e fazer a criança regurgitar.
  • Faça um embrulhinho – outra recordação dos tempos de barriga da mamãe é estar em um espaço apertadinho. Por isso, não se faça de rogado: “embrulhar” seu bebê em um cuero pode ser bem eficaz.
  • Ligar o aspirador de pó ou secador de cabelo – outra característica do ventre é que se trata de um lugar com barulho bem característico – e, por um acaso, similar ao desses eletrodomésticos. Se você não tiver um deles a mão, uma simples música ou vídeo com esses ruídos já dá conta do recado.
  • Dê uma volta de carro – junte agora passeio, ruído de carro e ver coisas diferentes. É tiro e queda para os pequenos.

Melhor Fralda


Imprimir Enviar a um amigo