Notícia

PROTESTE e a Rio +20

17 abril 2012

17 abril 2012

Sustentabilidade, tema da Rio + 20, Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável que será realizada no Rio de Janeiro, em junho, tem sido nossa preocupação constante.

O consumo sustentável tem sido tema frequente da PROTESTE Associação de Consumidores para estimular o consumidor a fazer sua parte na proteção ao meio ambiente. E também enviamos propostas para a Rio + 20.

Vinte anos após a Cúpula da Terra, realizada no Rio em 1992, a Rio+ 20 será mais uma oportunidade de refletir sobre o futuro que queremos para o mundo nos próximos vinte anos. A Cúpula da Terra anterior, Eco-92, realizada há 20 anos também no Rio, resultou em dois tratados marcantes: as convenções sobre mudança do clima e biodiversidade.

Nesta próxima conferência, mais de 130 líderes mundiais, milhares de participantes do setor privado, ONGs (entre as quais a PROTESTE) e outros grupos, se reunirão para determinar como é possível reduzir a pobreza, promover a justiça social e a proteção do meio ambiente em um planeta que é cada vez mais habitado. E como enfrentar o desafio de equilibrar o crescimento econômico e o progresso humano com sustentabilidade ambiental.

Não é fácil produzir decisões concretas nesses encontros multilaterais em que duas centenas de países têm poder de veto (as deliberações exigem consenso). O desafio é obter um conjunto enxuto de metas mensuráveis e verificáveis -os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável- que tenham também relevância social e econômica.

Em 1997, a convenção do clima foi regulamentada pelo Protocolo de Kyoto, com a criação de metas para países desenvolvidos reduzirem a produção de gases do efeito estufa. A partir daí, a negociação internacional sobre combate ao aquecimento global não avançou.

No estágio atual, pesquisadores do clima dão como certo que ainda neste século a atmosfera se aquecerá mais que os 2°C tidos como seguros. Acima disso, projetam, eventos climáticos extremos como secas, enchentes e furacões se tornariam mais frequentes.

A Rio+20 terá três momentos: de 13 a 15 de junho, está prevista a III Reunião do Comitê Preparatório, no qual se reunirão representantes governamentais para negociações dos documentos a serem adotados na Conferência. Em seguida, entre 16 e 19 de junho, serão programados eventos com a sociedade civil.

De 20 a 22 de junho, ocorrerá o Segmento de Alto Nível da Conferência, para o qual é esperada a presença de diversos Chefes de Estado e de Governo dos países-membros das Nações Unidas.

E terá dois focos: governança e economia verde. Na questão da governança está de um lado a Europa, que quer criar uma organização mundial do ambiente autônoma, nos moldes da OMS (saúde) ou da OMC (comércio), e, de outro, aqueles que se opõem a isso, como Brasil e EUA.

Em torno da economia verde, Itamaraty e Planalto insistem no chamado tripé do desenvolvimento sustentável: econômico, social e ambiental. São acusados, por isso, de diminuir a ênfase no ambiente e querer transformar a conferência numa vitrine para exibir os feitos do país na redução da pobreza.

Veja o que já publicamos sobre o tema:
Meio ambiente
Pneu
Descartando seu pneu usado corretamente
Energias renováveis
Dia mundial sem carro: a qualidade do ar agradece
Reciclar
Certificação de madeiras
Embalagens


Imprimir Enviar a um amigo